Efeito Estufa: Centro de Pesquisa da USP recebe investimento de R$ 63 milhões

25/10/2021

Imagem - Emissão de gases do efeito estufa. Foto: DesignRage / Shutterstock.com

Emissão de gases do efeito estufa. Foto: DesignRage / Shutterstock.com

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e a Shell anunciaram um investimento de R$ 63 milhões no Research Centre for Gas Innovation (RCGI), um Centro de Pesquisa em Engenharia vinculado à Escola Politécnica da USP, que desenvolve estudos focados no uso sustentável de gás natural, biogás, hidrogênio, gestão, transporte, armazenamento e uso de CO2.

Reitor da USP e engenheiro de formação, Vahan Agopyan ressaltou que esse é um projeto de grande envergadura, que abrange desde a ciência básica até a aplicação em campo. Para Agopyan, além dos resultados de curto e médio prazo, é interessante chamar a atenção para os resultados futuros.

“Somos uma universidade de pesquisa, que forma alunos em um ambiente de pesquisa. Projetos como esse criam na Universidade um ambiente instigante, que influenciará os jovens ao longo de toda a sua carreira profissional. Estamos cultivando aqui o nosso futuro”, avaliou o reitor.  

Com esses recursos, as pesquisas do RCGI passam a ser focadas em inovações que possibilitem mitigar as emissões de gases de efeito estufa (GEEs), capturar e estocar carbono e transformar CO2 em produtos de alto valor agregado, ajudando o Brasil a atingir os compromissos assumidos no Acordo de Paris, no âmbito das Nationally Determined Contributions.

“A atual situação da ciência brasileira é muito difícil. Os recursos federais caíram muito, mas a realidade no Estado de São Paulo é diferente. Essa parceria entre Fapesp, Shell e Universidade é muito simbólica, porque é um investimento em ciência, em desenvolvimento econômico sustentável, reconhecendo o que há de melhor no DNA do Brasil, que é o empreendedorismo científico, que reconhece a beleza dos nossos recursos naturais”, afirmou a Secretária de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo.

Imagem - Centro de pesquisa. Foto: Marcos Santos/USP

Centro de pesquisa. Foto: Marcos Santos/USP

Research Centre for Greenhouse Gas Innovation

Constituído pela Fapesp e Shell em 2015, o RGCI conta atualmente com 400 pesquisadores envolvidos em 46 projetos de pesquisa.

Com a ampliação de sua área de atuação, o centro mudará de nome, passando a se chamar Research Centre for Greenhouse Gas Innovation (RCGI). O centro também passará a ter cinco novos programas: NBS (Nature Based Solutions); CCU (Carbon Capture and Utilization); BECCS (Bioenergy with Carbon Capture and Storage); GHG (Greenhouse Gases) e Advocacy.

Vice-diretor da Fapesp, Ronaldo Aloise Pilli explica que o programa foi criado com o objetivo de oferecer financiamento de longo prazo para a solução de problemas complexos. “Buscamos atender os interesses mais urgentes da sociedade, da economia e da ciência”, conta Ronaldo.

Para o CEO da Shell do Brasil, André Lopes de Araújo, a parceria com a Fapesp e com a USP é uma das iniciativas mais importantes da empresa em pesquisa e desenvolvimento. “Agora temos essa parceria estendida por mais cinco anos, com o foco na mitigação dos impactos das mudanças climáticas, e isso tem um claro alinhamento com a estratégia que a companhia tem adotado nesse momento”, revela Araújo.

Tags: notícias
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados