Semana do Meio Ambiente: saiba como contribuir com a coleta de resíduos em SP

02/06/2020

Imagem -  A Amlurb (Autoridade Municipal de Limpeza Urbana) preparou uma série de vídeos com profissionais do setor para falar sobre a situação da coleta seletiva na capital paulista. Foto: Konevi / Pixabay

A Amlurb (Autoridade Municipal de Limpeza Urbana) preparou uma série de vídeos com profissionais do setor para falar sobre a situação da coleta seletiva na capital paulista. Foto: Konevi / Pixabay

O período de isolamento social para evitar a propagação do novo coronavírus tem feito com que muitas pessoas busquem cursos em casa pela internet. Que tal aproveitar essa Semana do Meio Ambiente (1º a 5 de junho) para estudar sobre o sistema de resíduos da sua cidade?

 A Amlurb (Autoridade Municipal de Limpeza Urbana) preparou uma série de vídeos com profissionais do setor para falar sobre a situação da coleta seletiva na capital paulista. A programação (confira aqui) vai até o dia 5 de junho (Dia Mundial do Meio Ambiente) e os conteúdos serão liberados diariamente nas redes sociais da Amlurb (Facebook, Twitter e Instagram), a partir das 12h

No primeiro dia, a educadora ambiental Márcia Metran deu uma aula sobre como funciona o sistema de resíduos da cidade e tirou as principais dúvidas da população em vários aspectos, até mesmo como contribuir com a coleta seletiva e aumentar a taxa de reciclagem.

Confira as principais dicas da profissional e veja como você pode contribuir para a limpeza da sua cidade!  

Entenda primeiro o que é resíduo

Todo material que pode ser reaproveitado se chama resíduo. Ele serve tanto como matéria-prima de uma cadeia produtiva como pode virar insumo para produção de energia. Além disso, os materiais servem de fonte de renda para trabalhadores de cooperativas.

Saiba de quem é a responsabilidade

Existe uma lei federal, nomeada por Política Nacional de Resíduos Sólidos, que informa que a responsabilidade dos resíduos é compartilhada. Ela pode ser do gerador, ou seja, daquele que consome um produto e torna-se diretamente responsável pelo seu descarte adequado, e também do produtor.

“A lei cita a corresponsabilidade. Por exemplo, uma mercadoria para chegar até nós passa pelo importador, indústria, distribuidor e comércio, então essas áreas têm que se unir e oferecer o caminho reverso desse material para que ele retorne à cadeia produtiva”, afirma Márcia.

Mudança de atitude

A atitude do consumidor é a parte mais importante dessa cadeia. É preciso mudar a cultura consumidora para uma cidadã, porque, afinal, o resíduo está dentro da cidade e precisa ser destinado corretamente.

Pesquise sobre o sistema de resíduos

Cada cidade tem um sistema de coleta de lixo diferente. São Paulo, por exemplo, coleta o comum, aquele gerado em domicílio, e o reciclável, que faz parte da coleta seletiva. “O lixo comum precisa ser colocado em sacos pretos e os dias e horários que o caminhão da coleta passa em frente à sua casa precisam ser respeitados. Esse serviço cobre 100% da cidade de São Paulo, que é formada por aproximadamente 3,5 milhões de domicílios”, diz a educadora.

Do total do lixo comum, 30 a 35% são materiais recicláveis que perderam a chance de serem reciclados e contribuírem com a renda de trabalhadores que dependem da venda desses materiais. O cidadão é a chave para que esse sistema funcione.

“Para se informar sobre como contribuir com a reciclagem em São Paulo e com esse sistema, acesse o site do Recicla Sampa. Há vários conteúdos sobre o assunto, que ajuda o morador a começar a coleta seletiva em casa”, finaliza a especialista.

Para assistir ao vídeo completo da profissional, clique aqui.

Fonte: Facebook Amlurb

Texto produzido em 01/06/2020

Tags: notícias
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados