Faq

Aqui você encontra as perguntas mais frequentes sobre o projeto RECICLA SAMPA.

  • O que é o movimento Recicla Sampa?

    O Recicla Sampa é uma iniciativa para sensibilizar as pessoas e ampliar a conscientização acerca da importância de tratar, com mais responsabilidade, os resíduos que geramos. Seus objetivos estão totalmente integrados às políticas nacional e municipal de resíduos sólidos.

    Tem o patrocínio das concessionárias de coleta domiciliar de resíduos da cidade de São Paulo, Loga e Ecourbis, e o apoio institucional da Prefeitura de São Paulo, através da AMLURB, responsável pela regulação dos contratos de concessão de limpeza urbana da cidade.

  • Por que nós devemos reciclar?

    Reciclar é parte de uma série de atitudes que podemos tomar a partir dos efeitos gerados por nossos hábitos de consumo e a partir de nossa produção de resíduos.

    A coleta seletiva reduz severos impactos no meio em que vivemos, como a piora da qualidade da água e do solo; o entupimento de bueiros e a maior atração de insetos e roedores; o agravamento dos efeitos do aquecimento global; o uso de elementos da natureza. Sua adoção, por outro lado, é responsável pela geração de empregos e renda de catadores, cooperativas e no setor industrial.

    Além do impulso à coleta seletiva, o movimento Recicla Sampa defende que é preciso repensar nosso jeito de viver e agir em São Paulo; recusar produtos e serviços que não estejam comprometidos com o respeito ao meio ambiente; reduzir o volume de resíduos que cada um de nós geramos; reutilizar tudo que for possível para aumentar a vida útil dos produtos e tornar as coisas menos descartáveis.

  • Quais são os materiais que podem ser reciclados?

    São recicláveis papéis, papelões, plásticos, latas, vidros e embalagens longa vida. Além disso, eletroeletrônicos, pilhas e baterias, por exemplo, precisam de cuidado e tratamento especiais, devendo ser descartados em pontos específicos de coleta.

    Para ver exemplos práticos de lixos recicláveis, visite a seção Baixar materias e tenha acesso a adesivos e cartazes que promovem hábitos voltados à coleta seletiva. Use gratuitamente e divulgue o material em sua residência, escola, trabalho e vizinhança.

  • Como separar adequadamente os resíduos para a coleta seletiva?

    Retire o excesso de sujeira e os líquidos dos materiais recicláveis. No caso de garrafas de água, separe também as tampas.

    É importante embalar o vidro ou outros objetos cortantes e deixar o coletor informado da existência desse material.

    Pense sempre em como facilitar ao máximo a vida das pessoas que trabalham nessa área. A coleta segura, bem sinalizada, é essencial para o bom funcionamento do sistema e para o pleno aproveitamento desse modo de vida sustentável.

  • Onde eu devo entregar materiais recicláveis?

    A cidade de São Paulo dispõe de serviços de coleta seletiva tanto diretamente em residências quanto em postos de entrega.

    Duas concessionárias de coleta domiciliar de resíduos da cidade prestam serviços para a Prefeitura: Loga e Ecourbis. Além disso, dezenas de cooperativas e associações de catadores estão habilitadas pela AMLURB.

    Em pontos de coleta você poderá encontrar a relação dos pontos de coleta existentes em São Paulo, com horário de funcionamento.

    As localidades que são atendidas pela entrega porta a porta estão disponíveis nos sites da Ecourbis http://www.ecourbis.com.br/ (que atende as regiões Leste e Sul da cidade de São Paulo) e da Loga http://www.loga.com.br/content.asp?CP=LOGA&cod=790 (Oeste, Norte e Centro)

    Agite sua comunidade, mobilize, informe, convide. Quanto mais gente fizer parte do Recicla Sampa, melhor para todos.

  • O que é o Ecoponto?

    Ecopontos são locais de entrega voluntária e gratuita de pequenos volumes de entulho (até 1 m³), grandes objetos (móveis, poda de árvores etc.) e resíduos recicláveis.

    Acesse sua localização na seção Pontos de coleta.

  • Como funciona o Ponto de Coleta Voluntária (PEV)?

    Os Pontos de Entrega Voluntária são locais onde a população encontra um contêiner verde para depositar os materiais recicláveis. Esses equipamentos são instalados em pontos de concentração e tráfego de população, órgãos públicos, comércios, praças e condomínios.

  • Posso levar pilhas e baterias de celulares ao Posto de Entrega Voluntária?

    Não. Os comerciantes de pilhas e pequenas baterias alcalinas que tenham em suas composições materiais tóxicos, entre os quais chumbo, cadmio, mercúrio, níquel e iodo, instalados na cidade de São Paulo são obrigados a aceitar, como depositários, esses produtos quando descarregados, quebrados ou inutilizados, para seu posterior recolhimento por seus fabricantes, revendedores ou importadores.

  • Posso entregar lixo domiciliar, como restos de alimentos, lixo industrial ou hospitalar no Ecoponto?

    Não. Os restos de alimentos devem ser colocados no lixo da coleta domiciliar. Os resíduos de saúde (de hospitais, ambulatórios, clínicas médicas, veterinárias e odontológicas etc) e os gerados pelas indústrias têm serviços diferenciados de coleta.

  • Como funciona a Taxa de Resíduos Sólidos de Serviços de Saúde (TRSS)?

    A TRSS é obrigatória para o gerador de resíduos sólidos de saúde na cidade de São Paulo. Os serviços públicos nesses casos envolvem coleta, transporte, tratamento e destinação final. São diversas faixas de valores da TRSS, destinadas tanto aos pequenos quanto aos grandes geradores de resíduos nessa área.