Nossa Causa

São Paulo vive de desafios.
De enfrentar e vencer desafios.

Está na hora de superarmos mais um deles, a partir de mobilização e trabalho conjunto para aumentar a quantidade de resíduos sólidos reciclados em nossa cidade.

Com a participação de todos, São Paulo, um dos maiores centros urbanos do planeta, pode se tornar exemplo de sucesso para o Brasil e para o mundo na área.

Para isso, criamos o movimento Recicla Sampa, uma iniciativa das concessionárias de resíduos da cidade: Loga e Ecourbis, com apoio institucional da Prefeitura de São Paulo, através da Autoridade Municipal de Limpeza Urbana, a AMLURB.

Nossa meta é bastante factível: reduzir em 500 mil toneladas o montante de resíduos enviados aos aterros municipais no período de quatro anos, conforme consta do Plano de Metas da Prefeitura de São Paulo para 2020.

Em 2017, o volume total destinado no município a esses locais foi de 3.763.592 toneladas. Número que já representa redução de 126.912 toneladas em relação à média anual aferida entre 2013 e 2016.

Mas é possível reduzir muito mais no futuro. As potencialidades são do tamanho de São Paulo. Enquanto cerca de 40% dos resíduos gerados pelos paulistanos poderiam estar sendo reciclados, apenas 7% o são atualmente.

Apenas 7%

dos resíduos recicláveis

são reciclados em são paulo

A chave para a mudança é simples e requer meros esforços práticos. Basta que um número cada vez maior de paulistanos adote ou aprimore seus hábitos sustentáveis.

É preciso repensar nosso jeito de viver e agir em São Paulo; recusar produtos e serviços que não estejam comprometidos com o respeito ao meio ambiente; reduzir o volume de resíduo que cada um de nós geramos; reutilizar tudo que for possível para aumentar a vida útil dos produtos e tornar as coisas menos descartáveis; reciclar todo o resíduo que for possível.

O Recicla Sampa estimula que cada um faça a sua parte. Torna claro que cada cidadão tem um papel a cumprir. Cada um deve ser responsável pelo lixo que produz e pela separação daquilo que pode vir a ser reciclado.

Além disso, também precisamos valorizar, respeitar e apoiar os esforços dos mais de 3.000 profissionais que trabalham na coleta domiciliar e seletiva do lixo em São Paulo. Reconhecer o trabalho e a importância deles para o funcionamento da nossa cidade e para o processo de limpeza, conservação e disposição correta dos resíduos que nós mesmos geramos.

Na mesma direção, devemos reconhecer e valorizar o trabalho dos catadores e das cooperativas de reciclagem que tiram seu sustento prestando um serviço ambiental fundamental para nossa cidade. Aliás, é sempre bom lembrar que reciclar, além de ser uma atitude de defesa do meio ambiente, é também uma ação de solidariedade, pois toda a renda obtida com os recicláveis coletados porta a porta pelas concessionárias da cidade é destinada integralmente ao sustento dos trabalhadores das cooperativas de reciclagem de São Paulo.

Nós temos todas as condições para virar este jogo. Nossa cidade é a única da América Latina que dispõe de centrais mecanizadas capazes de fazer a separação dos resíduos encaminhados pelos paulistanos para reciclagem. São duas instalações, situadas em Santo Amaro e na Água Branca, com capacidade para processar 500 mil toneladas de resíduos recicláveis por dia, operar em dois turnos, seis dias por semana que, no momento, estão parcialmente ociosas e só processam uma fração do que poderiam.

É hora de mudar isso! É hora de reciclarmos mais, muito mais.

É fácil participar e é simples fazer a coisa certa. Basta começar. Ter uma atitude cidadã e acreditar que cada gesto faz a diferença, porque de fato faz.

Reciclar é agir de maneira responsável e São Paulo tem condição de promover uma verdadeira revolução cujo benefício é inegável.

GOVERNANÇA

O Recicla Sampa é uma iniciativa para promover educação ambiental e ampliar a conscientização da população acerca da importância de tratar com mais responsabilidade os resíduos que geramos. Seus objetivos estão totalmente integrados às políticas nacional e municipal de resíduos sólidos.

Tem o patrocínio das concessionárias de coleta domiciliar de resíduos da cidade de São Paulo, Loga e Ecourbis, e o apoio institucional da Prefeitura de São Paulo, através da AMLURB, responsável pela regulação dos contratos de concessão de limpeza urbana da cidade.

O objetivo é ampliar a consciência, o conhecimento e difundir informações para os cidadãos de São Paulo sobre:

Além disso, a iniciativa pretende oferecer instrumento de educação ambiental para professores, alunos e escolas das redes públicas e particulares, bem como materiais para estimular a participação de mais pessoas, empresas e condomínios na processo de reciclagem.

O projeto Recicla Sampa conta com um conselho editorial, não remunerado, integrado pelas concessionárias, pela AMLURB, pela D4G - empresa responsável por conduzir o projeto, e por membros independentes escolhidos em razão de sua grande contribuição para a cidade de São Paulo na área de resíduos, limpeza urbana, comunicação e de meio ambiente.

500 mil ton.

meta 24 reduzir em 500 mil toneladas

o volume de lixo destinados aos aterros

Planejamento

Todo o trabalho está baseado em um planejamento apresentado pelas concessionárias para cumprir a obrigação de promover educação e conscientização ambiental, submetido à aprovação da AMLURB.

Para o biênio 2018-2020, a decisão foi inverter a lógica das iniciativas de comunicação anteriores, que eram caracterizadas por campanhas publicitárias isoladas e de curta duração, e passar a ter um projeto mais consistente, com foco em iniciativas de médio e longo prazos.

O Recicla Sampa idealiza acompanhar o ritmo das operações de forma permanente e cotidiana, portanto, com uma forte presença na internet e nas redes sociais.

Apoia a operação da coleta e destinação dos resíduos da cidade de São Paulo para ampliar o volume de reciclados e, assim, auxiliar para que a meta 24, que consiste em reduzir em 500 mil toneladas o volume de resíduos destinados aos aterros sanitários que operam a serviço da administração municipal, possa ser atingida.

Para isso, a primeira tarefa é organizar um repositório de conteúdo para que os paulistanos possam buscar informações e tirar suas dúvidas. Um espaço de reflexão onde todos possam dar sua contribuição e fazer parte.

A plataforma do Recicla Sampa é toda estruturada em cima dos cinco R’s - repense, reduza, reuse, recuse e recicle. Eles significam os comportamentos que os cidadãos devem ter diante dos resíduos que produzem. Além disso, são expressões da reflexão acerca da São Paulo que queremos para o presente e para o futuro. Um projeto de conteúdo e engajamento que pretende contribuir para uma mudança cultural. Um novo e mais sustentável comportamento cidadão. Uma nova postura diante da nossa cidade.

quem pode participar?

O Recicla Sampa é uma iniciativa a favor da cidade de São Paulo. Todos são bem-vindos para dar e oferecer sua contribuição.

Convidamos os cidadãos, empresas, entidades sem fins lucrativos, associações, cooperativas, igrejas, organizações do terceiro setor a participar da iniciativa.

Essa união possibilitará a ampliação da troca de ideias e a divulgação de casos de sucesso, novas informações e dados relevantes, como a divulgação de locais para recebimento de recicláveis. Quanto maior for o número de parceiros, mais amplo será o alcance do movimento.

Vale também enviar críticas, correções ou mesmo replicar e fazer uso livre das iniciativas e projetos propostos pelo Recicla Sampa.

5Rs

Reciclasampa

Recicle

A preocupação com o meio ambiente é um tema que vem ganhando popularidade no mundo todo. A cada ano que passa, com o aumento da produção industrial e o consumo da população, fica cada vez mais evidente a necessidade da reciclagem do lixo produzido por todos nós.

Descartar o lixo corretamente contribui para uma vida melhor na sua casa, em seu bairro e em sua cidade. E mais, ajuda a preservar a natureza, o ar que respiramos, a descontaminação de rios e solos, além de gerar renda e alimentar inúmeras famílias que sobrevivem da venda do que é desprezado por milhares de pessoas.

E como fazer isso se tornar um hábito? É muito simples!
Separe o lixo em dois: orgânico e reciclável. Neste segundo, você pode colocar embalagens plásticas de todos os tipos, vidros, papéis e metais. E lembre-se: é essencial que o material reciclável não esteja molhado para que seja totalmente aproveitado! Vamos começar?

Reduza

Vamos supor que você vai à uma loja comprar um presente para um amigo. O produto escolhido vem da fábrica em uma embalagem para que ele não sofra danos durante a comercialização. A loja, por sua vez, embala a compra em outro papel, coloca fita adesiva, acrescenta um lindo laço e finaliza colocando seu presente dentro de uma sacola, com a marca da loja, para você levar para casa com todo o conforto.

Essa é uma cena rotineira que você nem percebe o quanto de lixo está gerando em uma simples compra. E quando seu amigo abrir todos esses pacotes para ver o que ganhou de presente, qual será o destino final de tudo isso? Certamente você já sabe a resposta. Vai tudo para o lixo.

Reduzir o volume de lixo descartado pode ser o primeiro passo para uma mudança importante. O consumo consciente é um aliado fundamental para a preservação do meio ambiente.

Avalie e veja que é possível promover muitas mudanças. Quer ver?

Consertar os itens que temos em casa pode ser muito mais econômico e ainda contribui muito com o meio ambiente. Se mesmo assim você não quiser mais esses produtos, doe. Tem muita gente que vai querer.

Pequenas atitudes podem reduzir o desperdício.

Só depende de você. Tente. Vai te fazer um bem enorme!

Repense

Pare e reflita: dos itens que constavam na sua última lista de compras, quais deles você realmente precisava adquirir? Repensar a forma de consumo e a maneira como enxergamos a questão do descarte do lixo no Brasil é o primeiro passo em prol da preservação ambiental. É preciso ter a consciência de que o lixo que você produz e descarta é, primeiramente, um problema seu, e posteriormente dos órgãos públicos. Incentivar a população através de políticas públicas de educação ambiental é primordial para que todos se conscientizem de que nossas atitudes refletem imediatamente no meio ambiente.

Evite as sacolas plásticas de supermercado. Leve a sua retornável. Prefira copos de vidro ou reutilizáveis ao invés do descartável. Separe o lixo para facilitar a reciclagem. Se informe sobre o horário correto em que os caminhões de coleta domiciliar e coleta seletiva passam para retirar o lixo em sua residência. Ações como essas contribuem muito para a preservação do planeta. Faça sua parte!

Reuse

Muito se discute a respeito do reaproveitamento de materiais recicláveis como uma contribuição para a preservação do meio ambiente. A opinião dos especialistas costuma ser bem divergente a respeito do tema. Uns acreditam que é melhor reaproveitar do que jogar no lixo. Outros afirmam que um material, quando é reutilizado para uma outra função, perde suas características originais e, portanto, fica com a possibilidade de reciclagem comprometida.

O fato é que reutilizar um produto mais de uma vez, independentemente de sua função inicial, pode contribuir, e muito, para a diminuição da exploração de uma nova matéria prima que resultará na produção de um outro produto. Então, por que não reutilizar? O artesanato de materiais recicláveis tem crescido. Garrafas Pet, por exemplo, viram vasos e até mesmo paredes para a construção de casas.

Mas existem outras formas de reutilização.

A água é o principal exemplo da importância desse tipo de ação. E por onde começar? Reaproveite a água da máquina de lavar roupas, por exemplo, para dar descarga, lavar o quintal da sua casa ou o carro da família. Pequenas atitudes como essa já fazem a diferença.

A escassez de água cresce a cada ano e o reuso é fundamental para evitar que esse recurso acabe em um curto espaço de tempo. Água é vida!

Recuse

Pequenas atitudes podem colaborar de forma decisiva para melhorar a maneira que lidamos com o lixo. Repensar a forma de lidar com os recursos que estão à nossa disposição é nosso dever. E muitas vezes a melhor saída é dizer NÃO.

Nem sempre aquilo que parece proporcionar maior conforto individual, na verdade, é realmente necessário. Cada produto merece passar por nova avaliação de sua utilidade, de seu benefício imediato e ambiental. Precisamos nos livrar de velhos hábitos e, mesmo que eles tenham baixo custo financeiro, refletir sobre suas reais necessidades e o impacto que causam no nosso meio.

Recusar também é uma atitude cidadã.