Catador de recicláveis mantém escola para crianças carentes

02/10/2019

Imagem - Sebastião Duque pede 30 reais de mensalidade aos responsáveis para conseguir pagar professoras. Foto: TV Jornal

Sebastião Duque pede 30 reais de mensalidade aos responsáveis para conseguir pagar professoras. Foto: TV Jornal

Em Olinda, Pernambuco, o catador de materiais recicláveis, Sebastião Duque, montou uma escola para crianças carentes. O espaço existe há quase 34 anos.

O centro de ensino Escola Nova Esperança atende filhos de desempregados ou catadores de lixo, entre 2 e 5 anos de idade. Atualmente, cerca de 90 alunos estudam na instituição improvisada, que tem capacidade para acolher até 100 estudantes. Para manter o local, Duque utiliza parte de seu ganho como catador e cobra dos responsáveis pelas crianças uma pequena quantia de 30 reais, a qual destina ao pagamento das professoras.

O colégio conta com quatro educadoras, sendo duas no período matutino e outras duas no vespertino. Uma delas é Tamires Santos, que há quatro anos trabalha na instituição.

“É quase como um filho, quase família mesmo”, descreveu a professora a imprensa local.

Sebastião explica que fundou a escola para poder dar um futuro melhor às crianças de sua comunidade. “Que Deus ilumine os caminhos delas, dos pais e das mães. Para poder progredir, a gente tem que lutar. Eu vou fazer o que está em minhas mãos”, disse o catador ao veículo.

Fontes: Razões Para Acreditar

Texto produzido em 23/03/2019

Tags: notícias
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados