Recicla Sampa - Calcinhas descartáveis não são nada sustentáveis
Recicla Sampa
sp156

Para esclarecer dúvidas sobre os serviços de coleta domiciliar de resíduos sólidos, limpeza urbana e varrição pública entre em contato com o 156 ou clique aqui.

Calcinhas descartáveis não são nada sustentáveis

Veja outros artigos relacionados a seguir

Foto1
Calcinha descartável. Foto: FotoDuet / Shutterstock.com

Companheira no dia a dia das mulheres, as calcinhas são peças indispensáveis no guarda-roupa feminino. Entretanto, há quem opte pelas calcinhas descartáveis, que voltaram a ser tema de debates após uma participante do BBB 2022 revelar que levou esse tipo de item de uso único para o reality. 

Mas afinal, como isso é visto do ponto de vista da sustentabilidade? Bom, vamos lá e as notícias não são boas. 

A calcinha descartável é mais uma ameaça para o meio ambiente. Assim como as calcinhas normais, as descartáveis são fabricadas com diferentes tipos de tecidos. 

Mas diferente das convencionais, como o próprio nome diz, elas são de uso único e não são recicláveis.

As mais populares, produzidas com plástico, material que leva pelo menos 100 anos para se degradar, geram um impacto ambiental nocivo e são “nada a ver” com os valores de sustentabilidade do século XXI. 

Sem falar nos aditivos químicos, que evitam odores e facilitam a absorção de fluidos, mas que podem contaminar o meio ambiente, mesmo se descartadas corretamente.

Esse tipo de peça descartável, importante lembrar, é usada normalmente em hospitais, clínicas e ambientes do tipo, como medida de higiene e de prevenção de contaminações.

Para piorar, mesmo se descartadas corretamente, as calcinhas descartáveis, além de impactar no volume de resíduos nos aterros sanitários, ainda têm como consequência a geração de microplásticos.

"Essas partículas nunca desaparecem e se misturam à água que nós bebemos e ao ar que respiramos”, explicou o professor Pedro Jacob, do Instituto de Química da USP (Universidade de São Paulo), em entrevista ao portal UOL

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, baseado em estudos internacionais, a humanidade já consome 30% mais recursos naturais do que a capacidade de renovação da Terra. 

Se os padrões de consumo e produção continuarem nesse ritmo, em menos de 50 anos serão necessários dois planetas Terra para atenderem nossas necessidades de água, energia e alimentos.

Portanto, devemos com urgência abandonar hábitos ultrapassados e banir de uma vez por todas os itens de uso único, buscando vincular nosso consumo do dia a dia aos valores da logística reversa e da economia circular. 

Texto produzido em 8/2/2022


Últimas

Notícias

Brasil reciclou seis mil toneladas de latas de alumínio desde 1990

Circularidade do material gera emprego e renda para 800 mil catadores de lixo reciclável

14/06/2024
Notícias

Governo Federal anuncia investimentos em cooperativas de reciclagem no Brasil

Liberação de R$ 8 milhões vai beneficiar mais de 15 entidades e associações do setor

13/06/2024
Notícias

O que é Ecodesign e qual sua importância para a sustentabilidade

Tendência busca minimizar impactos ambientais durante o ciclo de vida dos produtos

12/06/2024
Notícias

São Paulo tem o maio mais quente em 81 anos

Entenda como a reciclagem contribui para conter o aquecimento global

11/06/2024