Impacto nos oceanos

Baleia no oceano. Foto: Thomas Kelley/Unsplash

Cuidar do lixo que você produz evita morte de animais marinhos

20/03/2019

Às 6h da manhã do dia 16 de março de 2019, cientistas do Museu D'Bone Collector receberam uma notificação de que uma baleia estava presa ao leste da cidade de Davao, nas Filipinas. Imediatamente, a ONG reuniu um grupo de profissionais que se locomoveu para o local a fim de entender o que havia acontecido com o animal marinho. Após a necropsia, o grupo divulgou oficialmente em sua página no Facebook que a causa da morte da baleia da espécie bicuda-de-cuvier havia sido a ingestão de 40kg de lixo plástico.

Este não é o primeiro caso de animais que morrem por uma quantia considerável de plástico ingeridos. Considerado o grande vilão da vida marinha, já que sua poluição nos oceanos causa ameaça a diversas espécies, o uso do plástico descartável é um problema mundial. No Brasil, 4º maior produtor de lixo plástico no mundo, cada pessoa produz em média 1kg de lixo plástico por semana, sendo que apenas 1,2% desse resíduo é reciclado atualmente, segundo dados de um estudo feito pela World Wide Fund for Nature (WWF).

Os materiais plásticos estão incorporados à nossa rotina. Eles estão presentes quando consumimos produtos embalados, realizamos uma pequena compra no mercado e na farmácia, ou quando tomamos água em um copo descartável. Seu descarte incorreto pode causar ocorrências como o da baleia das Filipinas, encontrada com 16 sacos de arroz e inúmeras sacolinhas plásticas, dessas que estamos habituados a usar.

Lixo nas praias. Foto: Andrei Ciobanu/Unsplash

Descartar corretamente o produto é a principal ação para que casos de morte de animais decorrentes de poluição plástica não se repitam. Segundo David Gomes de Oliveira, engenheiro ambiental e especialista em segurança do meio ambiente, a população desconhece o impacto do lixo na água. “Precisamos nos conscientizar urgentemente de que o plástico pode prejudicar uma cadeia marinha inocente. Grande parte do que foi encontrado no interior da baleia são sacolas plásticas. É um uso muito exagerado e não precisamos de sacolinhas para sobreviver”, defende o especialista.

De acordo com a psicóloga Solange Lúcia da Silva, as pessoas só conseguem entender a importância quando visualizam o problema. É por isso que casos como o da baleia causam tanta comoção. Para a profissional, o choque está diretamente ligado ao sentimento de solidariedade das pessoas em relação aos animais.

“Existe uma relação emocional e psíquica disso tudo que é a morte. O emocional das pessoas fica muito abalado, mas não se promove mudanças. Eu me comovo, eu sofro, mas o que de fato eu estou fazendo para evitar essa situação? ”, explica Solange.

Outro ponto de extrema importância destacado pela psicóloga é a falta de empatia. “As pessoas não se preocupam em se colocarem no lugar do outro. As coisas vão acontecendo e elas não se importam, essa é a verdade”, aponta. A profissional ainda explica que falta compreensão em relação ao impacto direto do seu lixo e de suas atitudes no meio ambiente. “Mostrar as consequências das ações pode ser um caminho para reverter esse cenário”, conclui.  

Imagem - Acumulo de resíduos nas praias. Foto: Dustan Woodhouse/Unsplash

Acumulo de resíduos nas praias. Foto: Dustan Woodhouse/Unsplash

O alerta foi dado também pela pesquisa da WWF, que sinalizou que se medidas não forem tomadas, a poluição plástica dobrará até 2030. O relatório leva em consideração as atuais projeções de crescimento populacional, de PIB per capita e a atual geração de resíduos plásticos per capita e destaca que os oceanos serão os mais afetados.

Faça a sua parte!

Quando falamos de mudança de hábitos estamos nos referindo a um treino diário para que isso aconteça. Que tal conferir algumas sugestões para diminuir o uso do plástico e começar a colocar o treino em prática?

Sacolas retornáveis

Deixe de lado as sacolas plásticas e opte pela ecobag. Sacolas de pano dobráveis são uma boa dica para você carregar na mochila ou na bolsa diariamente.

Produtos a granel

Frutas secas, cereais e grãos não precisam estar dentro da embalagem plástica. Opte por comprar esses produtos a granel e leve seu próprio pote.

Recuse o canudinho plástico

Ele é um produto totalmente dispensável e hoje temos várias alternativas: comprar um de metal, vidro ou bambu para levar sempre com você. Ou ainda optar por utilizar os de macarrão e de papel oferecidos nos estabelecimentos.

Separe seu lixo

Todo plástico que você utiliza em casa pode ser destinado à reciclagem. No caso de garrafas pet, por exemplo, tire a tampa, o rótulo e a amasse para diminuir o volume.  Não esqueça de higienizar o material e colocá-lo nos dias e horários corretos em que o caminhão da coleta seletiva passa em sua residência.

Texto produzido em 18/03/2019

Tags: matérias
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados