Recicla Sampa - Estudante de Campinas cria biocanudo feito com inhame
Recicla Sampa
sp156

Para esclarecer dúvidas sobre os serviços de coleta domiciliar de resíduos sólidos, limpeza urbana e varrição pública entre em contato com o 156 ou clique aqui.

Estudante de Campinas cria biocanudo feito com inhame

Veja outros artigos relacionados a seguir

Foto1
Canudo biodegradável à base de inhame. Foto: Reprodução EPTV Campinas

Causa comoção quando se vê imagens de animais marinhos presos ou engasgados com canudos plásticos. O apetrecho é o principal inimigo da saúde de muitas tartarugas ou peixes que o confundem com comida. Além de bagunçar a vida dos seres dos oceanos, o plástico demora cerca de 400 anos para se decompor no planeta.

O jeito para solucionar esse problema é evitar o uso ou criar formas para substituir o plástico, principal material utilizado na produção dos canudos. Foi o que fez a estudante de Campinas (SP), Maria Pennachin, de 16 anos, que criou um canudo biodegradável, comestível e flexível à base de inhame que, se jogado na fauna e flora, não causa nenhum impacto ambiental. 

A iniciativa foi tão inovadora que a aluna do Colégio Estadual Culto à Ciência conquistou o 1º lugar na edição deste ano da Feira Nordestina de Ciência e Tecnologia (Fenecit), na categoria meio ambiente. A colocação fez com que a aluna apresentasse o projeto em um evento internacional em Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes, que vai ocorrer em setembro de 2019. A jornada até o Oriente Médio será árdua, pois a estudante busca patrocínio para investir no biocanudo.

A criação

A estudante relata que a criação do canudo utensílio se deu a partir do debate sobre o descarte irregular na natureza e sobre a proibição do canudo de plástico em algumas cidades paulistas. O impedimento do uso nesses municípios levantou uma polêmica entre os deficientes físicos que dependem do canudo para ingerir alimentos, já que ele é firme e confiável.

Por causa dessas questões, Maria - com a orientação de duas professoras - conseguiu criar o canudo de inhame que traz a mesma consistência do produto de plástico. Ela realizou vários testes até chegar à fórmula final e constatar que o biocanudo não dissolve no líquido. A aluna também garante que o canudo não tem gosto de inhame e de nenhum outro elemento natural usado na composição.

A escola foi uma incentivadora na criação do projeto de Maria. O colégio fomenta projetos de meio ambiente e o tema para este ano foi a questão dos resíduos sólidos.

Fonte: G1, Ciclo Vivo

Texto produzido em 15/10/2018


Últimas

Notícias

Brasil pode alcançar 95% de energia renovável até 2026

Pesquisa coloca país na vanguarda mundial da transição energética

04/03/2024
Notícias

Dia Mundial dos Catadores de Lixo Reciclável celebra luta da categoria

Data promove reflexão sobre responsabilidade coletiva em dar dignidade aos trabalhadores

01/03/2024
Notícias

Cidades do futuro e os caminhos para um mundo sustentável

Demandas apontam para harmonia entre desenvolvimento urbano e preservação ambiental

29/02/2024
Notícias

Projeto de lei quer celulares com baterias removíveis e substituíveis

Regra evitaria que milhões de aparelhos sejam inutilizados e descartados precocemente

28/02/2024