Estudantes brasileiros criam esmalte com lixo eletrônico reciclado

10/11/2021

Imagem - Aparelhos de Televisão antigos. Foto: Photonell_DD2017 / Shutterstock.com

Aparelhos de Televisão antigos. Foto: Photonell_DD2017 / Shutterstock.com

Pensando em diminuir o dano ambiental causado pelo descarte irregular do vidro e do lixo eletrônico, pesquisadores da Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo (EESC-USP) desenvolveram um esmalte reciclado para revestimentos cerâmicos feito com o vidro das telas das TVs de tubo e de monitores de computadores antigos.

Para substituir 20% do pó de frita, a matéria-prima mais cara na produção do esmalte, os pesquisadores viram na reciclagem de vidro, uma maneira de desenvolver uma receita sustentável para os esmaltes cerâmicos.

A iniciativa consiste em reciclar o lixo eletrônico e também utilizar um processo mais barato e que consuma menos energia para proteger peças de cerâmica, como azulejos e vasos sanitários.

Em entrevista ao Jornal da USP, Eduardo Bellini Ferreira, professor da EESC-USP e coordenador da pesquisa, explica que o esmalte cerâmico é o responsável por proteger as peças, sejam elas um azulejo, uma caneca ou um vaso sanitário.

“O esmalte tem funções técnicas e estéticas. Ele impermeabiliza e dá durabilidade à peça. Se a cerâmica não for esmaltada, ela vai sugar qualquer líquido que entre em contato. Além de manchar o produto, é muito anti-higiênico”, afirmou Ferreira.


 Para chegar à inovação, os pesquisadores testaram diferentes quantidades de vidro reciclado no lugar da frita até encontrar o ponto ideal. 

Os alunos contaram com a ajuda de ferramentas computacionais que calculam as propriedades das composições baseadas em milhares de dados encontrados na literatura científica.

Ajude a evitar a tsunami de Eletrolixo

Para quem não sabe, os aparelhos eletrônicos são recicláveis. E no século XXI, com a ameaça cada vez maior de um tsunami incontrolável de eletrolixo, cada cidadão carrega uma responsabilidade histórica, diretamente vinculada à quantidade de resíduos que gera e como os descarta.

Além do projeto da Green Eletron e dos pontos oferecidos pela Prefeitura, a cidade de São Paulo abriga uma iniciativa que recicla eletroeletrônicos. É a Coopermiti, referência brasileira em logística reversa do setor.

Caso você tenha em sua casa aparelhos eletrônicos que precisam ser descartados, não deixe de descartá-los corretamente.

Encontre um ponto de coleta no site do Recicla Sampa e faça sua parte!

Tags: notícias
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados