Projeto reúsa água de refrigerantes vencidos na produção de tijolos

19/01/2022

Imagem - Foto: Divulgação | Solar Coca-Cola

Foto: Divulgação | Solar Coca-Cola

Se a gestão correta de resíduos sólidos já é um desafio para os governos e empresas, imagina o tamanho do problema quando falamos em reciclagem de resíduos líquidos.  

Por exemplo, o que fazer com sucos e refrigerantes vencidos ou que não podem ser mais consumidos por uma questão sanitária qualquer?

Segunda maior fabricante do sistema Coca-Cola Brasil, a Solar encontrou uma solução interessantíssima para esse problema: reciclar os refrigerantes!

Mas como assim? Você deve estar se perguntando. É simples!

A composição das bebidas conta com um percentual de 90% de água, item fundamental no processo de fabricação de blocos de tijolos.

“Já existiam alguns estudos sobre a utilização de outros tipos de materiais na produção de tijolos sem o comprometimento da qualidade do produto. A partir disso, vimos a oportunidade de agregarmos o uso de refrigerantes na etapa de umidificação da argila e, consequentemente, economizar o uso de recursos naturais no processo e o lançamento de efluentes no meio ambiente”, explica o diretor Industrial da Solar Coca-Cola, Gileno Correia.

“A destinação correta dos resíduos líquidos sempre foi um grande desafio para o nosso negócio. Diante disso, resolvemos apostar em estudos e análises técnicas que pudessem nos ajudar a encontrar uma destinação alternativa e ecológica para esse tipo de resíduo”, completa o executivo.

Ainda segundo a equipe da Solar, desde o começo do projeto, em janeiro de 2020, a fábrica de Simões Filho já deixou de gerar mais de 1,4 milhão de litros de efluentes. Ou seja, uma redução de 50% no tratamento externo de resíduos líquidos.

A iniciativa também possibilitou a economia de mais de um milhão de litros de água de poço na produção de tijolos.

Com todas as fábricas da Solar repensando e aderindo à políticas de redução e reuso de água, agora a meta da empresa é reduzir o consumo hídrico por litro de bebida produzida em até 1,4L/L até 2031.

Texto produzido em 19/1/2022

Tags: notícias
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados