Dá para reciclar lixo orgânico

Orgânicos. Foto: Lulub/shutterstock.com

Você sabe as diferenças entre lixo orgânico e reciclável?

09/05/2018

Imagem - Lixo reciclável e Lixo comum, respectivamente. Foto: KaliAntye/shutterstock.com

Lixo reciclável e Lixo comum, respectivamente. Foto: KaliAntye/shutterstock.com

Na hora de separar o lixo, é comum não ter conhecimento sobre o que fazer com os restos de alimentos, quais os tipos de resíduos que podem ser misturados e como dispensá-los corretamente. 

Dados da Prefeitura apontam que todos os dias o paulistano produz, em média, 1,2 quilo de lixo por habitante. No total, são 18 mil toneladas por dia, sendo que 12 mil são de resíduos domésticos. Talvez poucas pessoas tenham parado para pensar sobre isso, mas é muito lixo produzido. 

 

A reciclagem e lixo orgânico

Lixo orgânico é qualquer resíduo que tenha origem vegetal ou animal. Ele é produzido todos os dias nas residências, indústrias, hospitais, ou seja, em qualquer lugar. São basicamente compostos por restos de alimentos, como carne, cascas de frutas, borra de café e arroz. Esses tipos de resíduos devem ser descartados corretamente pois, além do mau cheiro, contaminam o solo e a água por conta da sua decomposição. Não é aconselhado que vá para os aterros sanitários pois, em céu aberto, a comida apodrece e gera chorume, que é um líquido escuro que contém alta carga poluidora e é proveniente de matérias orgânicas em putrefação. De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, o lixo orgânico pode causar sérias doenças como leptospirose, malária e febre amarela se não for descartado corretamente

Já explicamos aqui, no Recicla Sampa, que reciclagem é o processo de reaproveitamento de qualquer material que pode dar origem a um novo produto ou matéria-prima, não precisando ser descartado. Podem ser garrafas, alumínio ou papel, por exemplo. Além de ajudar o meio ambiente, é uma boa alternativa para a indústria. O lixo orgânico, por mais que cause doenças e prejudique o planeta, ao ser eliminado de forma correta também pode ser reciclado, podendo virar combustível e adubo.

Imagem - Lixo orgânico. Foto: ChameleonsEye/shutterstock.com

Lixo orgânico. Foto: ChameleonsEye/shutterstock.com

Como o lixo orgânico pode ser reciclado?

Existem duas formas de reciclar o lixo orgânico: a compostagem, gerando adubo para ser usado em plantações, e por meio da produção de biogás.

O processo de compostagem pode ser definido como a reciclagem de matéria orgânica. O objetivo é diminuir o impacto nos aterros sanitários, onde toda a matéria vira gás metano, prejudicial quando depositado no solo. É uma alternativa simples, que pode ser feita em casa.

 

Como criar sua própria composteira

1. Separe todos os resíduos orgânicos
Podem ser cascas de ovo, iogurte, cascas de frutas, sementes. Alimentos como queijo, carne, alho e arroz não são recomendados por atrair pragas, estragando o adubo que será gerado.

2. Escolha os recipientes
Não é necessário comprar algum utensílio específico. Podem ser dois baldes ou dois recipientes fundos que comportem o quanto de material orgânico você deseja reutilizar e que, de preferência, se encaixem, deixando espaço entre eles.

3. Escolha o lugar
A composteira não pode estar em contato direto com sol, chuva e vento. O ideal precisa ser um local arejado e coberto.

4. Elabore sua composteira
Escolha o recipiente que ficará por cima e faça furos embaixo dele. É por esses furos que o chorume irá sair. Lembrando que, como ele foi gerado de maneira natural e limpa, também pode ser reaproveitado como biofertilizante na proporção de um litro de chorume para 10 litros de água. Encaixe os dois baldes e insira camadas na parte de cima.
As camadas são alternadas entre folhas secas (ou serragem, aparas de grama, restos de madeira) e material orgânico. A proporção é de duas camadas secas para uma de matéria orgânica. O processo da compostagem ocorre com mais eficiência se tudo for picado, e a última camada precisa ser de folhas secas para impedir que insetos sejam atraídos. Não feche a composteira. Desta forma, o lixo orgânico e reciclável não gera gás metano, prejudicial para as plantas.

5. Não mexa por no mínimo 15 dias
É necessário um tempo para que a composteira comece a funcionar, pois é preciso atingir um certo nível de calor para que as bactérias passem a decompor todo o alimento (pode chegar a 70 graus). Caso não aconteça, observe se precisa regar um pouco ou se a quantidade de folhas secas é maior do que a de matéria orgânica. Mas, durante 15 dias, não mexa na composteira. Depois desse tempo, o ideal é revirar todo o material, para que ele seja oxigenado. O adubo estará pronto quando todo o material estiver de cor marrom escuro e com cheiro de terra fresca.

Biogás

Conhecido como uma fonte renovável e ecológica, o biogás é uma outra forma de reciclagem do lixo orgânico. Segundo o Portal do Biogás, o processo de decomposição de matéria orgânica que ocorre na ausência de oxigênio gera o biogás, além de um resíduo líquido rico em minerais que pode ser utilizado como biofertilizante. Este processo é chamado de biodigestão anaeróbia. O biogás é composto principalmente de metano e gás carbônico, ambos com ampla utilização na indústria.

Ainda segundo o Portal do Biogás, a combustão do metano libera energia térmica, que pode ser convertida em outras formas de energia. Por isso, o biogás é conhecido como uma fonte de energia renovável. O uso do biogás como fonte de energia tem aumentado muito o seu valor de mercado e criando setores específicos – como o de biodigestores (centrais, usinas ou mesmo equipamentos que têm como objetivo a aceleração do processo de decomposição da matéria orgânica na ausência de oxigênio).

Tags: matérias
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados