3 iniciativas para se viver numa cidade mais sustentável

25/06/2020

Imagem - Especialista afirma que respeitar o meio ambiente é a chave para um futuro saudável da humanidade. Foto: J Comp / Freepik

Especialista afirma que respeitar o meio ambiente é a chave para um futuro saudável da humanidade. Foto: J Comp / Freepik

Até 2050, o mundo terá um acréscimo de 2,5 bilhões de habitantes. A partir desta constatação, Luis Antônio Lindau, diretor da WRI, multinacional especializada em pesquisas ambientais, alerta sobre as consequências desse crescimento populacional para o meio ambiente. E propõe soluções que podem começar a promover um futuro mais sustentável desde já.

Confira três iniciativas que uma cidade deve ter para crescer em harmonia com o meio ambiente e garantir uma vida saudável para seus habitantes.

Acessibilidade

Muito se tem falado em mobilidade urbana e para o profissional essa deve ser uma pauta prioritária para os governos. Isso porque, com o aumento populacional o quadro deve piorar ainda mais, ampliando a dificuldade de acesso ao transporte público, por exemplo. As cidades devem começar a olhar para essa demanda, estudando soluções para a população para que todos exerçam seu direito de “ir e vir” com tranquilidade.

Reduzir a emissão de gases poluentes

A emissão de gás carbônico pode ser responsável pelo aquecimento global. Cientistas acreditam que se a Terra aumentar pelo menos um grau centígrado, haverá um desequilíbrio ambiental que pode ocorrer em estações climáticas indefinidas, aparecimento de fenômenos inesperados, como tufões e tsunamis, aumento de doenças respiratórias, entre outras consequências.

De acordo com Lindau, se até 2050 as grandes cidades não reduzirem a emissão de gases poluentes, esse aumento de temperatura será inevitável.

“Hoje em dia, as metrópoles são responsáveis por 60 a 70% da emissão desses gases”.

Mobilidade elétrica

As fumaças de veículos têm uma grande parcela de culpa na emissão desses gases poluentes. “Por ano, 50 mil pessoas morrem devido as péssimas condições do ar”. Para solucionar essa questão, o profissional indica que órgãos públicos e privados invistam em frotas de ônibus elétricos. Dessa forma, é possível diminuir a emissão de gás carbônico emitido.

“Muita gente no Brasil ainda não acredita no aquecimento global. Apesar disso, temos que repensar nosso modo de desenvolvimento. Acredito que um crescimento sustentável é a chave para um futuro saudável da humanidade”.

Texto produzido em 28/01/2020

Tags: matérias
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados