China troca lixo reciclável por desconto em impostos

09/03/2021

Imagem - Centro de reciclagem. Foto: Envato

Centro de reciclagem. Foto: Envato

Todo mundo já sabe que a economia chinesa não para de crescer. E todo mundo também sabe que isso causa um grande impacto no meio ambiente. A poluição do ar nas grandes cidades supera absurdamente o limite diário de poluentes considerado aceitável pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e a quantidade de lixo gerada é cada vez maior.

Neste contexto caótico, empresas e o próprio governo chinês, de olho em um futuro mais sustentável, procuram soluções que amenizem a situação. Para se ter uma ideia, especialistas da conceituada Universidade Tsinghua estimam que os investimentos no setor podem chegar a impressionantes US$ 15 trilhões nos próximos vinte anos.

Uma dessas empresas é a "cleantech" Dog / Xiaohuanggou. Recentemente, a startup chinesa teve uma ideia sensacional. Em uma parceria com o governo, foram espalhados mais de 40 mil pontos de coleta de lixo reciclável em diferentes cidades do país. Até aí, nada de novo. Mas o lance é mais interessante do que parece.

Primeiro, quem mora perto desses pontos de coleta tem a obrigação de descartar os recicláveis nas máquinas. Tudo bem separadinho e limpo: garrafas pet e lixo plástico em geral, latas, papel, vidro e etc. Uma vez descartado o lixo reciclável, você carrega uma QR code lido pela própria máquina. Esse QR code te reconhece e vai te colocando em uma espécie de ranking de reciclagem.

Quanto mais você recicla, mais você ganha moral com o governo e com a sociedade. Os primeiros colocados, além de faturarem uma medalha da prefeitura, recebem descontos progressivos nos impostos municipais, parecidos com o nosso IPTU.

O que são cleantechs?

Para quem não sabe, cleantechs são startups que apostam suas fichas em soluções e modelos de negócio baseados em energia limpa e na sustentabilidade. Nos últimos anos, milhares de iniciativas parecidas surgiram nos quatro cantos do planeta

Segundo uma pesquisa do Mapeamento do Ecossistema de Startups de Cleantech no Brasil, já existem mais de 130 empresas dentro do segmento no país. A maioria delas, quase metade, tem sede em São Paulo.

De acordo com os dados divulgados, as cleantechs estão divididas em oito categorias: transporte, ar e meio ambiente, indústria limpa, água e agricultura, sendo a maioria focada em energia limpa, energia limpa, armazenamento de energia e eficiência.

Texto produzido em 09/03/2021 

Tags: notícias
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados