Recicla Sampa - Compostagem: entenda o que é e como funciona
Recicla Sampa
sp156

Para esclarecer dúvidas sobre os serviços de coleta domiciliar de resíduos sólidos, limpeza urbana e varrição pública entre em contato com o 156 ou clique aqui.

Compostagem: entenda o que é e como funciona

Veja outros artigos relacionados a seguir

Foto1
Tanto na sua casa quanto no seu apartamento é possível reciclar alimentos. Foto: tawanroong / shutterstock.com

Você sabia que tanto na sua casa quanto no seu apartamento é possível fazer uma composteira? Você também pode reunir a sua comunidade e, com técnicas e métodos diferentes, organizar uma composteira comunitária em uma praça, por exemplo.

A tecnologia está tão avançada que já dá até para comprar uma composteira elétrica nessas grandes lojas online que existem por aí. "Mas porque eu montaria, organizaria ou compraria uma composteira?" você deve estar se perguntando... 

Na natureza, tudo é reciclável. Nos ecossistemas, as plantas e animais mortos se decompõem no solo, onde a matéria orgânica se transforma em nutrientes.  

Foi observando essa capacidade incrível do planeta terra que há cerca de cinco mil anos os chineses criaram a compostagem, um processo para produzir insumos agrícolas que adubam as hortas e plantações.

Ou seja, compostagem é quando os humanos gerenciam e manipulam essa decomposição biológica natural com o objetivo de produzir uma matéria estável, que contém uma quantidade bem grande e diversa de microrganismos.

Com ampla capacidade de reter a água, esses micróbios e a matéria orgânica disponibilizam os nutrientes para as plantas e geram a estrutura e a fertilidade de um solo saudável, perfeito para o manejo de verduras, frutas, legumes e outros tipos de cultura.

Isso quer dizer que você pode reciclar as cascas de fruta e legumes, os restos de alimentos em geral e as folhas do seu jardim e transformar tudo isso em um excelente adubo, 100% orgânico, ao mesmo tempo em que colabora para a sustentabilidade do planeta!

Compostagem e Meio Ambiente

A matéria orgânica quando é depositada nos aterros sanitários se decompõe anaerobicamente, sem acesso ao oxigênio. Esse processo é diferente da decomposição aeróbica, que é como ela se decompõe nos ecossistemas.

Quando um alimento se decompõe sem oxigênio, ele produz gases de efeito estufa (principalmente o gás metano), que invariavelmente escapam e se acumulam na atmosfera, contribuindo para o aquecimento global. Isso sem contar numa possível contaminação da água dos rios e dos lençóis freáticos da região onde se localiza o aterro.

Portanto, quando falamos em sustentabilidade ambiental, a compostagem cumpre um papel fundamental no século XXI, principalmente por diminuir o volume de resíduos encaminhados aos aterros sanitários, com seus inúmeros problemas e impactos.

Entre os benefícios ambientais da compostagem de resíduos orgânicos destacam-se a redução das emissões de gases nocivos e a criação de um recurso para o cultivo de alimentos saudáveis, livres de pesticidas e fertilizantes sintéticos.

Isso sem contar que ao ampliar o volume dos resíduos compostados, diminuímos a quantidade de caminhões necessários para a coleta e destinação final dos resíduos orgânicos, minimizando ainda mais os impactos na natureza.

Vermicompostagem X Compostagem Termofílica

Vermicompostagem e Compostagem Termofílica são os dois processos mais conhecidos e utilizados para a estabilização biológica de resíduos sólidos orgânicos.

Na Vermicompostagem, ou Compostagem Doméstica, temos as minhocas como protagonistas. Na Compostagem Termofílica, os principais agentes transformadores são os microrganismos conhecidos como “eficientes”, principalmente as bactérias e fungos.

A Vermicompostagem é um processo mais simples, sem necessidade de um controle rígido de temperatura, PH e índice de umidade. É mais adequada para um projeto caseiro por ter um processamento mais fácil e rápido de pequenas quantidades de resíduos.

Já a Compostagem Termofílica necessita de altas temperaturas e um ambiente que inclui, por exemplo, controle de carbono e nitrogênio. É mais adequada para processar grandes quantidades de resíduos. Essa é a técnica utilizada pela Prefeitura de São Paulo no projeto Feiras e Jardins Sustentáveis, executado pela Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (AMLURB).

Foto1
Foto: Anna Hoychuk / shutterstock.com

Quatro motivos para fazer uma composteira!

1 - Ao imitar o método de decomposição da natureza, permitindo que o material orgânico se decomponha aerobicamente, a compostagem reduz o desperdício, nos torna menos dependentes de aterros sanitários e diminui as emissões de gases de efeito estufa na atmosfera.

2 - O composto fortalece o solo e promove o crescimento saudável das plantas. Com porcentagens altas de matéria orgânica, o solo retém a água, os nutrientes e o ar. Essa capacidade de retenção reduz o escoamento e a erosão, fatores que beneficiam todo o ecossistema e criam um ambiente ideal para as diferentes culturas.

3 - A compostagem reduz a necessidade de pesticidas e fertilizantes sintéticos. Como o composto enriquece o solo sem agredir o meio ambiente, as plantas tendem a ser mais resistentes aos fungos, pragas e doenças. As bactérias e criaturas saudáveis ​​que estão presentes no composto também ajudam a combater as pragas e doenças antes mesmo que elas cheguem a contaminar as plantas.

4 - A compostagem recicla os nutrientes essenciais de volta ao solo. Restos de comida são um recurso valioso! Assim como as partes que você come, as sobras dos alimentos descartadas contêm vitaminas e minerais importantes que, quando devolvidos ao solo, são reciclados e retornam ao ecossistema, semeando a terra para as próximas colheitas.


Últimas

Dicas de Reciclagem

Brasil produz 2,4 milhões de toneladas de eletrolixo por ano

Entenda o que é saiba onde descartar lixo eletrônico na cidade de São Paulo

18/06/2024
Notícias

São Paulo lança programa para melhorar gestão de resíduos

Projeto busca modernizar infraestrutura de tratamento e destinação do lixo no estado

17/06/2024
Notícias

Brasil reciclou seis mil toneladas de latas de alumínio desde 1990

Circularidade do material gera emprego e renda para 800 mil catadores de lixo reciclável

14/06/2024
Notícias

Governo Federal anuncia investimentos em cooperativas de reciclagem no Brasil

Liberação de R$ 8 milhões vai beneficiar mais de 15 entidades e associações do setor

13/06/2024