Empresa italiana cria sofás de couro com sobras de maçã

02/12/2019

Imagem - O tecido sustentável foi batizado de Apple Ten Lork. Foto: Dezeen / Reprodução

O tecido sustentável foi batizado de Apple Ten Lork. Foto: Dezeen / Reprodução

Uma empresa italiana desenvolveu um material inovador, que acaba evitando dois grandes problemas: o descarte inadequado de restos de comida e o sofrimento animal.  Em parceria do designer francês Philippe Starck, a Frumat criou 16 modelos de sofás confeccionados em couro vegano feito de restos de maçã.

Elaboradas em caráter experimental, as peças ficaram expostas de 17 a 30 de janeiro de 2019 no Cassina, um show room famoso de Paris por receber peças artísticas. A coleção, que infelizmente não está à venda, foi produzida com sobras da fruta, como o núcleo e as cascas, itens que normalmente não são reaproveitados e acabam parando em aterros sanitários ou incineradoras.  O tecido sustentável foi batizado de Apple Ten Lork.

Para a exposição dos itens, o espaço foi todo reconfigurado, fazendo referência a maçãs históricas: a de Adão e Eva, a que originou a descoberta da teoria da gravidade por Newton e a da pintura "O Filho do Homem", do artista belgo René Magritte, na qual um homem tem o rosto coberto pelo fruto verde.

Todo o projeto foi pensado para que clientes e visitantes repensem o consumo e o descarte de materiais. "Um sofá de couro é bonito e confortável, mas por que parar por aí? Nós fingimos não escutar a questão, mas realmente precisamos encontrar outras soluções", declarou Starck ao portal Dezeen.

Fontes: Revista Casa e Jardim, Dezeen

Texto produzido em 11/07/2019

Tags: notícias
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados