Recicla Sampa - Engenheira transforma lixo reciclável em próteses
Recicla Sampa
sp156

Para esclarecer dúvidas sobre os serviços de coleta domiciliar de resíduos sólidos, limpeza urbana e varrição pública entre em contato com o 156 ou clique aqui.

Engenheira transforma lixo reciclável em próteses

Veja outros artigos relacionados a seguir

Foto1
Iniciativa usa resíduos plásticos encontrados nas praias como matéria-prima. Foto: Divulgação / BioMec

Depois de um grande amigo perder a perna em um acidente e ter dificuldades financeiras para comprar uma prótese, a engenheira moçambicana Marta Vânia Uetela teve uma ideia.

Diplomada em Liderança e Empreendedorismo pela Iniciativa Jovens Líderes Africanos pela Yali, ela começou a desenvolver uma empresa de próteses chamada BioMec.

O objetivo era fabricar próteses a preços populares e acessíveis. Foi então que percebeu que para diminuir os custos de produção, seria fundamental comprar matérias-primas mais baratas que as convencionais.

Ao mesmo tempo, Marta se lembrou que boa parte do material que ela precisava, no caso o plástico, é também o material mais encontrado nas praias do litoral do seu país.

Moçambique tem quase 2,5 mil quilômetros de costa e assim como no mundo todo, o lixo plástico é predominante na região.

Então Marta se perguntou: e se eu usasse esses resíduos plásticos na fabricação das próteses?

Com base na capacitação que recebeu na Yali, a engenheira identificou e recrutou parceiros para seu empreendimento, incluindo uma empresa privada apoiada pelo governo local, especializada em coletar e reciclar o lixo oceânico.

Os esforços ainda incluíram uma parceria com a Embaixada do Reino Unido e a Embaixada da Irlanda, que forneceram suporte técnico para a linha de produção.

Depois de alguns estudos, Marta conseguiu desenvolver em 2020 um protótipo e passou os seis meses seguintes atrás de financiamento para a pesquisa.

A primeira prótese da BioMec, claro, foi para seu amigo Ivan e com apoio de impressoras 3D, ela conseguiu reduzir o custo das armações em centenas de dólares.

De quebra, Vânia ainda inovou e os clientes podem colaborar na aparência final dos membros artificiais.

Agora, a jovem empreendedora está focada em um projeto piloto com mais de 700 clientes de Moçambique e Angola e espera expandir os negócios para atender o maior número de pessoas possível.


Últimas

Notícias

Brasil reciclou seis mil toneladas de latas de alumínio desde 1990

Circularidade do material gera emprego e renda para 800 mil catadores de lixo reciclável

14/06/2024
Notícias

Governo Federal anuncia investimentos em cooperativas de reciclagem no Brasil

Liberação de R$ 8 milhões vai beneficiar mais de 15 entidades e associações do setor

13/06/2024
Notícias

O que é Ecodesign e qual sua importância para a sustentabilidade

Tendência busca minimizar impactos ambientais durante o ciclo de vida dos produtos

12/06/2024
Notícias

São Paulo tem o maio mais quente em 81 anos

Entenda como a reciclagem contribui para conter o aquecimento global

11/06/2024