Estudante do ensino médio inventa plástico derivado do maracujá

24/04/2019

Imagem - Estudante Juliana Estradioto. Foto: Divulgação CNPq

Estudante Juliana Estradioto. Foto: Divulgação CNPq

Novas descobertas são importantes para oferecer caminhos para uma vida mais sustentável. Um novo invento tem chamado a atenção: um filme plástico derivado da casca do maracujá.

A descoberta é da estudante do ensino médio, Juliana Estradioto, de 18 anos, que cursa o Instituto Federal de Educação do Rio Grande do Sul (IFRS). Com a invenção, a gaúcha ganhou o primeiro lugar no 29° Prêmio Jovem Cientista, realizado pelo CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico). Detalhe: o plástico derivado do maracujá já havia sido premiado em uma competição escolar nos Estados Unidos.

A ideia do material biodegradável surgiu após um incômodo com os plásticos pretos que envolvem as mudas de plantas. Juliana decidiu criar uma alternativa ecológica para embrulhar os brotos. Assim, nem precisa retirar o plástico biodegradável quando enterrar. O material se decompõe em aproximadamente 20 dias, sem prejudicar o meio ambiente.

O novo plástico demorou 12 meses para surgir. “Não tem laboratório para criar, tem que improvisar. Infelizmente, o governo investe pouco mais de 1% em ciência e pesquisa”, contou Juliana em entrevista ao portal Uol.

Apesar disso, a jovem cientista sonha em se tornar engenheira química para continuar pesquisando fórmulas que cuidem do meio ambiente.

Fonte: Uol

Notícia produzida em 13/11/2018

 

Tags: notícias
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados