Green Mining representa o Brasil na COP 26

17/11/2021

Imagem - Coletores da Green Mining. Foto: Divulgação / Green Mining

Coletores da Green Mining. Foto: Divulgação / Green Mining

O planeta inteiro sabe que o Brasil não está com muita moral quando o assunto é desenvolvimento sustentável e defesa do meio ambiente, mas nosso comparecimento na COP 26 não foi um desastre completo.

Idealizada em 2018, a startup Green Mining marcou presença na Conferência do Clima e apresentou para o mundo o seu case de logística reversa, que já coletou, somente em vidro, mais de 2,5 mil toneladas de garrafas e evitou a emissão de cerca de 420 mil quilos de CO2 na atmosfera.

Com atuação no DF e em mais seis estados, incluindo São Paulo, a startup emprega coletores devidamente registrados, assinando a carteira e garantindo direitos para pessoas com poucas oportunidades de emprego, além de priorizar veículos não motorizados em suas operações de coleta.

Com foco na reciclagem de vidro, a cleantech atua em parceria com cooperativas de catadores comprometidas com boas condições de trabalho e firmou recentemente uma parceria com a Ambev, que incluiu a startup num programa de financiamento.

“A importância de se reciclar esse material, e o Brasil ainda recicla muito pouco, é que esses 2,5 milhões de kg de lixo reciclável puderam voltar para a cadeia de produção, o que quer dizer que 2,5 milhões de kg de matéria-prima não precisaram ser extraídos da natureza por empresas que poluem muito, como as de petróleo, mineração e celulose, que usam maquinário pesado”, informa Rodrigo Oliveira, presidente da organização.

“Por isso a empresa se chama Green Mining [mineração verde, em português], porque estamos fazendo uma mineração urbana de matéria-prima, evitando que ela se perca”, completa o presidente em entrevista ao portal Metrópoles.

COMO FUNCIONA

Através de um algoritmo exclusivo, a startup faz o mapeamento de pontos de geração de resíduos pós-consumo. Em áreas onde é identificada uma quantidade grande de lixo reciclável, é instalada uma central de recebimento batizada de HUB.

Nela, o material coletado fica armazenado antes de seguir para a destinação final. Todo o material é pesado em cada etapa do processo e registrado no sistema da Green Mining, que vai garantir que tudo o que foi coletado seja corretamente destinado à reciclagem.

Desta forma, a empresa obtém o rastreamento total de origem, trajeto e destino, com segurança de tecnologia blockchain operada com smart contract.

Tags: notícias
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados