Recicla Sampa - No Haiti, projeto garante troca de resíduos por dinheiro
Recicla Sampa
sp156

Para esclarecer dúvidas sobre os serviços de coleta domiciliar de resíduos sólidos, limpeza urbana e varrição pública entre em contato com o 156 ou clique aqui.

No Haiti, projeto garante troca de resíduos por dinheiro

Veja outros artigos relacionados a seguir

Foto1
O projeto tem o intuito de impedir que plásticos de uso único continuem a chegar aos oceanos. Foto: Nation

Em países precariamente desenvolvidos, pouco é investido em infraestrutura para a reciclagem, incineração e gestão de resíduos. Este é o caso do Haiti, nação bastante pobre com alta taxa de desemprego e sérios problemas ambientais. Com a queima irregular de componentes plásticos, a poluição da região é agravada, piorando ainda mais esse cenário. Diante desse quadro, os canadenses David Katz e Shaun Frankson fundaram a empresa Plastic Bank.

O projeto tem o intuito de impedir que plásticos de uso único continuem a chegar aos oceanos e, de quebra, fornece uma moeda de troca para que populações carentes saiam da pobreza. Para que isso ocorra, a ideia é bastante simples: a entidade incentiva os cidadãos desempregados a coletar lixo plástico. Ao entregarem os materiais, recebem na mesma hora créditos em uma conta no aplicativo Blockchain. A ferramenta visa garantir uma segurança completa e transparente entre a instituição e seus associados.

“A Plastic Bank é a maior cadeia de lojas para os mais pobres, onde tudo está disponível para vender em troca de sobras de plástico: leite em pó, gasolina, minutos para falar ao celular, wi-fi, mensalidades. Transferimos o valor para uma conta online e oferecemos inclusão financeira a quem nunca teve acesso a bancos”, revelou Katz ao veículo português Diário de Notícias.

Depois de coletados, os elementos são vendidos para grandes corporações, em sua maioria europeias, que reutilizam os artigos para diversos fins. Dois dos principais clientes da companhia são: Marks & Spencer, rede de varejo britânica, e a alemã Henkel, de produtos químicos. Segundo o portal Razões para Acreditar, a organização pretende expandir o modelo de captação de recicláveis para outras regiões com sistemas falhos de gerenciamento de detritos e altos níveis de contaminação plástica, como Etiópia, Indonésia e o próprio Brasil.

Fontes: Razões Para Acreditar, Diário de Notícias, Nation

Texto produzido em 27/11/2019


Últimas

Dicas de Reciclagem

Brasil produz 2,4 milhões de toneladas de eletrolixo por ano

Entenda o que é saiba onde descartar lixo eletrônico na cidade de São Paulo

18/06/2024
Notícias

São Paulo lança programa para melhorar gestão de resíduos

Projeto busca modernizar infraestrutura de tratamento e destinação do lixo no estado

17/06/2024
Notícias

Brasil reciclou seis mil toneladas de latas de alumínio desde 1990

Circularidade do material gera emprego e renda para 800 mil catadores de lixo reciclável

14/06/2024
Notícias

Governo Federal anuncia investimentos em cooperativas de reciclagem no Brasil

Liberação de R$ 8 milhões vai beneficiar mais de 15 entidades e associações do setor

13/06/2024