Nova tecnologia retira 100 mil toneladas de lixo do oceano - Recicla Sampa
Recicla Sampa
sp156

Para esclarecer dúvidas sobre os serviços de coleta domiciliar de resíduos sólidos, limpeza urbana e varrição pública entre em contato com o 156 ou clique aqui.

Compartilhar - WhatsApp Compartilhar - Facebook Compartilhar - Twitter Compartilhar - Linkedin

Nova tecnologia retira 100 mil toneladas de lixo do oceano

04 de Agosto de 2022,18h00

Foto1
Organização anuncia marco e afirma que resíduos coletados passam por certificação. Foto: Divulgação / theoceancleanup.com

Em 2015, o ainda jovem empresário holandês Boyan Slat anunciou ao mundo ter inventado uma tecnologia capaz de coletar em larga escala o lixo plástico dos oceanos e fez barulho nas redes e nos principais veículos de comunicação do planeta.

Muita gente colocou fé nele e muita gente deu de ombros, acreditando se tratar de mais uma invenção pouco eficiente e sem futuro.

De lá pra cá, a The Ocean Cleanup desenvolveu duas tecnologias e depois de uma fase de testes bem-sucedidos no fim do ano passado na Grande Mancha de Lixo do Pacífico, suas máquinas começaram a operar a todo vapor.

E nesta semana, a equipe da organização afirma ter atingido uma marca histórica. “A Ocean Cleanup removeu oficialmente 100 mil toneladas de lixo do oceano, mais especificamente da Grande Mancha de Lixo do Pacífico”, anuncia o site da iniciativa.

De acordo com nosso estudo de 2018, a quantidade total de plástico acumulado nessa região fica entre 79 e 100 milhões de toneladas. Assim, se repetirmos esse transporte mil vezes, a Grande Mancha de Lixo do Pacífico terá desaparecido”, promete a equipe capitaneada por Slat.

Importante destacar que os relatórios de coleta produzidos pela Ocean Cleanup são certificados pela DNV, que estabelece requisitos e garante a rastreabilidade e integridade do plástico recuperado nos rios e oceanos.

Como funciona a The Ocean Cleanup

Ainda segundo informações do site da organização, a tecnologia funciona como uma espécie de rede de arrasto de pescar artesanal, mas que atua apenas na superfície do oceano e opera em áreas específicas com grande quantidade de plástico acumulado.

Duas embarcações puxam cada uma das extremidades em um arco, resultando em uma barreira flexível em forma de U. Assim acontece a coleta os plásticos flutuantes na zona de retenção.

Os navios por sua vez se movem a pouco menos de um metro por segundo e a linha costeira artificial se estende por até 1800 metros.

Ícone - Carta

Receba nosso conteúdo


Últimas

Notícias

Com alta reciclabilidade, cobre é um resíduo valioso

Furto de cabos de semáforos na cidade de SP subiu 47% no primeiro semestre de 2022

03/08/2022
Notícias

Saiba como descartar o lixo de forma correta

É muito fácil separar os diferentes tipos de resíduos e começar a reciclar

02/08/2022
Notícias

Comissão da Câmara debate reciclagem de carros velhos no Brasil

Apenas 1,5% do carros velhos são reciclados no país; na Europa, índice chega a 85%

01/08/2022
Notícias

Maior parte do plástico de delivery não é reciclada, revela estudo

Dados inéditos indicam aumento de 46% de plástico enviado nos pedidos

29/07/2022