Reciclagem será responsável por 38% do aço produzido até 2050 - Recicla Sampa
Recicla Sampa
sp156

Para esclarecer dúvidas sobre os serviços de coleta domiciliar de resíduos sólidos, limpeza urbana e varrição pública entre em contato com o 156 ou clique aqui.

Compartilhar - WhatsApp Compartilhar - Facebook Compartilhar - Twitter Compartilhar - Linkedin

Reciclagem será responsável por 38% do aço produzido até 2050

05 de Julho de 2022,18h00

Foto1
Reaproveitamento da sucata é fundamental para minimizar impactos da indústria da mineração. Foto: Ruslan Leskov / shutterstock.com

A reciclagem será responsável por 38% do aço produzido até 2050, é o que indica um estudo divulgado neste mês pelo Boston Consulting Group (BCG), um dos três maiores escritórios de consultoria do mundo.

O relatório ainda aponta a reciclagem ferrosa, popularmente conhecida como reciclagem da sucata, como uma das soluções para minimizar o impacto da indústria da mineração no meio ambiente, responsável por 7% das emissões de gases de efeito estufa na atmosfera.

De acordo com o documento do BCG, batizado de ‘Greener Steel, Greener Mining’, a reciclagem tem potencial para ajudar a diminuir, principalmente, as emissões de gases do Escopo 3, considerados os mais difíceis de serem monitorados, responsáveis por 90% das emissões do setor.

“O aço é uma matéria-prima que pode ser reciclada infinitas vezes. Essa é uma oportunidade para os fornecedores da commodity expandirem seus portfólios e, ao mesmo tempo, diminuírem suas emissões de carbono, algo que é esperado pelo mercado para atingir as metas Carbono Zero”, comenta Arthur Ramos, Diretor Executivo e Sócio do BCG Brasil.

Para se tornar Carbono Zero, uma instituição precisa garantir a eliminação de emissões não somente de seu negócio especificamente (eletricidade, calor e vapor), mas também considerar as emissões indiretas por toda a cadeia de valor em que está inserida, o que inclui fornecedores e clientes. É exatamente aí que estão os gases do Escopo 3.

Este é um esforço totalmente alinhado com as metas estabelecidas no Acordo de Paris, que propõe um modelo mais sustentável ambientalmente para a economia global e busca manter o aquecimento do planeta abaixo dos 2ºC.

Mas a equipe do BCG ressalta que, embora seja promissora, a reciclagem não resolverá todos os problemas da indústria de mineração. Apesar de gerar muito menos CO2, a quantidade de sucata ferrosa disponível não é suficiente para substituir totalmente a produção de ferro.

Outras soluções apontadas pelo BCG são a captura, utilização e armazenamento de carbono, e a transição de altos-fornos para fornos elétricos. Alto-forno é o reator químico onde é reduzido o minério de ferro, a fim de transformá-lo em matéria prima (ferro-gusa).

“A solução para o Carbono Zero na indústria do aço envolverá uma combinação dessas três alternativas. A indústria tem um claro incentivo para descarbonizar sua produção e quanto antes começarem a colocar investimentos e ações em prática, terão recursos cada vez mais valiosos”, finaliza Arthur.

Texto produzido em 5/7/2022

Ícone - Carta

Receba nosso conteúdo


Últimas

Notícias

Com alta reciclabilidade, cobre é um resíduo valioso

Furto de cabos de semáforos na cidade de SP subiu 47% no primeiro semestre de 2022

03/08/2022
Notícias

Saiba como descartar o lixo de forma correta

É muito fácil separar os diferentes tipos de resíduos e começar a reciclar

02/08/2022
Notícias

Comissão da Câmara debate reciclagem de carros velhos no Brasil

Apenas 1,5% do carros velhos são reciclados no país; na Europa, índice chega a 85%

01/08/2022
Notícias

Maior parte do plástico de delivery não é reciclada, revela estudo

Dados inéditos indicam aumento de 46% de plástico enviado nos pedidos

29/07/2022