Rio de Janeiro veta uso de canudos de plástico

12/06/2018

Imagem - Estima-se que os canudos representem 4% do lixo mundial. Foto:  fullempty/shutterstock.com

Estima-se que os canudos representem 4% do lixo mundial. Foto: fullempty/shutterstock.com

Os visitantes da Cidade Maravilhosa terão que arrumar um novo jeito de tomar água de coco nos quiosques das praias cariocas. Um projeto de lei aprovado pela Câmara Municipal e sancionado pelo prefeito Marcelo Crivella veta a utilização de canudos de plástico em bares, restaurantes e quiosques do Rio de Janeiro. O produto terá que ser substituído por canudos de material biodegradável ou reciclável, sob pena de multa no valor de R$ 3 mil, com valor dobrado no caso de reincidência. Com isso, o Rio é a primeira cidade brasileira a combater o uso de canudos de plástico.

Como o material demora pelo menos 100 anos para se decompor, países mundo afora vem estudando alternativas para tentar reduzir o problema. Segundo a ONG Meu Rio, países como Índia, Bélgica, Noruega, Uruguai, Costa Rica e Panamá já aprovaram a lei de combate ao uso do plástico. A França foi além e aprovou recentemente a proibição da venda de talheres, copos e plásticos que não sejam de material biodegradável. A ONG Meu Rio também elaborou uma petição virtual, com 15 mil assinaturas, para tentar pressionar os vereadores a votarem a favor do projeto.

“Estima-se que os canudos representem 4% do lixo mundial. Infelizmente não contamos com um vasto material que levante dados sobre o uso de canudos no Brasil, mas em países como os Estados Unidos, por exemplo, são usados meio bilhão de canudos por dia. Com essa quantidade, seria possível empilhar canudos a ponto de darmos duas voltas e meia no planeta em um período de 24 horas”, diz a ONG em seu site.

Fontes:  Rio sem canudo | O Globo.com

 

Tags: notícias
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados