"Vamos juntos", reforçou embaixadora do ILZB sobre Recicla Sampa

07/02/2019

Imagem - Lançamento do Movimento Recicla Sampa. Foto: Thiago Mucci

Lançamento do Movimento Recicla Sampa. Foto: Thiago Mucci

É com o slogan “Você separa o lixo em 2, nós fazemos o resto” que as concessionárias EcoUrbis e Loga, responsáveis pela coleta seletiva na cidade de São Paulo, se unem em torno de uma causa que recebe o apoio do Instituto Lixo Zero Brasil (ILZB), organização sem fins lucrativos pioneira na disseminação do conceito da diminuição de geração de resíduos.

"Começamos bem, agora vem o trabalho", apontou Flávia Cunha, embaixadora do ILZB, sobre o evento de lançamento do Recicla Sampa, que aconteceu nesta quinta-feira, dia 7 de fevereiro, no Centro Cultural São Paulo. O Movimento reuniu poder público, instituições, empresas e ativistas do setor para apresentar a plataforma que tem como principal objetivo conscientizar os paulistanos a separarem o lixo domiciliar em dois: comum e reciclável.

Entusiasmada com o lançamento de uma plataforma que disponibiliza à sociedade conteúdos interativos, materiais gráficos, tutoriais de como separar corretamente os resíduos, jogos e webdocumentários Flávia ressaltou a importância desse primeiro passo.

“É um trabalho importante de divulgação. Eu entendo que a gente precisa muito trabalhar por fases. Então, para mim, essa é apenas a fase número um da plataforma”, ponderou.

Confiando no potencial do projeto, a representante do Instituto Lixo Zero ressaltou a importância do engajamento do público ao Movimento. “Tem que trazer a indústria, tem que trazer a sociedade, ONGs e ter os ativistas por perto. É um portal que se estabelece e, agora, precisamos acompanhar quais serão os próximos passos desta iniciativa”, destacou.

A embaixadora acredita que, para as próximas fases, há que se levantar questões como o resíduo orgânico, as responsabilidades dos grandes geradores e atuar com a mobilização para que as pessoas possam atuar diretamente na plataforma de forma colaborativa. "Gostei muito de ver o poder público ali envolvido e acho também que precisamos trazer o Ministério Público para falar sobre as obrigações. A gente fala muito da sociedade civil, mas tem que ter um trabalho forte para falar sobre os grandes geradores. Vamos juntos!”, finalizou.

Tags: matérias, reportagens
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados