Voltz cria motos elétricas para entregadores do iFood

23/04/2021

Imagem - Moto elétrica da Voltz desenvolvida para entregas. Foto: Divulgação / Voltz

Moto elétrica da Voltz desenvolvida para entregas. Foto: Divulgação / Voltz

Fabricante de veículos elétricos, a Voltz fechou uma parceria com o iFood e vai oferecer a partir deste mês de abril cerca de 30 motos aos entregadores do aplicativo para um projeto piloto.

Segundo a equipe de comunicação do APP de delivery, este é apenas o primeiro passo da iniciativa que pretende chegar à marca de dez mil motos elétricas até o primeiro semestre de 2021.

Batizado de EVS Work, a moto elétrica tem autonomia para rodar até 240 quilômetros sem precisar recarregar. A EVS convencional, já comercializada pela marca, roda cerca de 180 quilômetros com suas duas baterias.

Em reportagem publicada recentemente, a coluna Infomoto do UOL informou que o novo modelo só chegará às concessionárias para o público em julho. Os valores devem variar entre R$ 13.990 e R$ 15.990.

Ainda de acordo com informações do Infomoto, a Voltz fez uma parceria com diferentes fintechs e vai criar uma linha de crédito especial para que os entregadores tenham acesso ao veículo não poluente.

Esta é a segunda iniciativa do iFood nos últimos seis meses no sentido de promover a utilização de veículos elétricos pelos seus entregadores. Em outubro do ano passado, a empresa lançou o iFood Pedal em parceria com a Tembici.

O sistema de aluguel de bicicletas elétricas é exclusivo para os profissionais de São Paulo e do Rio de Janeiro e cada uma das capitais já conta com 500 entregadores inseridos no projeto. A empresa promete expandir a iniciativa para outras capitais do país até o fim de 2021.

Essa não é a primeira vez que a foodtech se une para o desenvolvimento de projetos de mobilidade elétrica. Em outubro a empresa se juntou a Tembici para lançar o iFood Pedal, sistema de aluguel de bicicletas elétricas para os entregadores na cidade de São Paulo.

Atualmente são 500 bicicletas na capital paulista e 500 na cidade do Rio de Janeiro e a empresa quer expandir o projeto para outras três capitais até o final do ano.

“Com as motos e as bicicletas elétricas, nossa meta é que, até 2025, sejamos capazes de compensar bem mais do que a gente emite. A ideia é não apenas reduzir o impacto das operações, mas também trazer um benefício à sociedade”, revela Gustavo Vitti, vice-presidente de Pessoas e Soluções Sustentáveis no iFood.

Texto produzido em 22/4/2021

Tags: notícias
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados