Recicla Sampa - Balões e bexigas de festa são recicláveis?
Recicla Sampa
sp156

Para esclarecer dúvidas sobre os serviços de coleta domiciliar de resíduos sólidos, limpeza urbana e varrição pública entre em contato com o 156 ou clique aqui.

Balões e bexigas de festa são recicláveis?

Veja outros artigos relacionados a seguir

Foto1
Apesar de serem recicláveis, balões e bexigas ainda não têm reciclabilidade. Foto: exopixel / shutterstock.com

Como diz o pessoal do Menos Um Lixo: pequenos resíduos, grandes problemas! Esse é o caso dos populares balões e bexigas de festa, que apesar de serem recicláveis, não tem reciclabilidade.

Ou seja, esses resíduos não interessam para o mercado da reciclagem, são considerados rejeitos e acabam sempre nos aterros sanitários, isso quando não são descartados nas praias e florestas.  

Mas olha só, é importante destacar que as bexigas geralmente são produzidas em látex ou nylon.

Por ser biodegradável, o látex é um pouco menos agressivo para o meio ambiente, mas demora de seis meses a quatro anos para se decompor e isso é tempo suficiente para causar um belo estrago.

Quando esses materiais chegam aos oceanos, por exemplo, eles são confundidos com alimentos, principalmente pelas tartarugas, e é comum encontrar espécimes que tenham morrido de inanição em função da ingestão de balões de festa.

Em resumo, as bexigas são itens descartáveis e incluem a lista de objetos de uso único que devemos banir do nosso cotidiano com urgência.

Já existem opções sustentáveis muito bacanas para você substituir pelas tradicionais e manter a decoração das festas impecável, até mais bonita!

Repense seus hábitos de consumo! Recuse itens de uso único!

Reciclável X Reciclabilidade

Existem resíduos sólidos que são recicláveis, mas não têm reciclabilidade.

Ou seja, são caros demais para reciclar, difíceis de coletar ou ainda não há tecnologia ou iniciativas para o seu reaproveitamento em larga escala.

Bons exemplos são os cotonetes, as esponjas de lavar louça e o papel filme.

Até mesmo alguns plásticos de uso único, como aqueles das colheres e mexedores de bebidas, são na teoria recicláveis, mas não tem reciclabilidade.

Importante destacar que muitas vezes a reciclagem não só fica mais cara do que a produção com matérias primas virgens, como impacta o meio ambiente na mesma proporção, ou até mais.

Em resumo, os materiais que não têm reciclabilidade são aqueles que ainda não interessam para as empresas do setor e na melhor das hipóteses acabam nos aterros sanitários.

Isso quando não acabam no meio ambiente e demoram séculos para se decompor, caso dos plásticos de uso único citados acima.

Portanto, o ideal é sempre pesquisar sobre o que é reciclável na prática, não apenas na teoria.

É importante também cobrar os nossos fabricantes preferidos para que eles respeitem a Política Nacional dos Resíduos Sólidos e se responsabilizem pelos produtos e embalagens que colocam no mercado.

Além, claro, de dar preferência para empresas responsáveis ambientalmente, que procuram soluções sustentáveis para minimizar o impacto das suas atividades no planeta.


Últimas

Notícias

São Paulo lança programa para melhorar gestão de resíduos

Projeto busca modernizar infraestrutura de tratamento e destinação do lixo no estado

17/06/2024
Notícias

Brasil reciclou seis mil toneladas de latas de alumínio desde 1990

Circularidade do material gera emprego e renda para 800 mil catadores de lixo reciclável

14/06/2024
Notícias

Governo Federal anuncia investimentos em cooperativas de reciclagem no Brasil

Liberação de R$ 8 milhões vai beneficiar mais de 15 entidades e associações do setor

13/06/2024
Notícias

O que é Ecodesign e qual sua importância para a sustentabilidade

Tendência busca minimizar impactos ambientais durante o ciclo de vida dos produtos

12/06/2024