Recicla Sampa - Feira propõe experiências que aproximam visitantes da sustentabilidade
Recicla Sampa
sp156

Para esclarecer dúvidas sobre os serviços de coleta domiciliar de resíduos sólidos, limpeza urbana e varrição pública entre em contato com o 156 ou clique aqui.

Feira propõe experiências que aproximam visitantes da sustentabilidade

Veja outros artigos relacionados a seguir

Adotar uma árvore, viajar entre as águas brasileiras de asa delta, conhecer a vida da catadora Carolina Maria de Jesus e entender os caminhos da reciclagem de uma garrafinha PET estão entre as experiências do Festival Green Nation. O evento, que acontece de 25 a 31 de março, une tecnologia e interatividade para oferecer atrações que aproximam o público da sustentabilidade.

“Procuramos criar atividades imersivas e interativas para que o público perceba os direitos e deveres com o meio ambiente” explica Marcos Didonet, idealizador da feira.

Essa é a primeira vez que o festival acontece em São Paulo. “A questão do lixo e do descarte foi uma das mais abordadas quando procuramos o porquê de trazer o Green Nation para a capital. Foi por isso que criamos instalações especiais sobre o tema, como é o caso do Caminho do Lixo e do game Jogue Limpo, por exemplo”, explica o idealizador.

Oferecida pelas concessionárias Loga e EcoUrbis, responsáveis pela coleta seletiva na capital paulista, a ação Caminho do Lixo, uma das atrações do evento, explica o impacto dos resíduos nas águas, os possíveis riscos de extinção dos rios e seus resultados concretos na vida humana.

A experimentação simula a rua e as tubulações de uma cidade que descarta lixo de forma inadequada e suas consequências, como a chegada dos resíduos em rios. O exemplo dado é o da avenida Paulista, principal centro financeiro de São Paulo, e o Rio Tietê, nacionalmente conhecido por sua poluição, mas que um dia já foi recreação dos moradores da capital.

Foto1
Visitantes durante a exposição Caminho do Lixo. Foto: Jozzu Ribeiro

“Procuro aproximar do visitante o local que ele conhece. Se vem gente do interior, eu dou exemplos de rios e de uma principal avenida da cidade deles. O objetivo é trazer para a realidade das pessoas”, explica o ator Oliver Mangels, um dos monitores do stand.

Após percorrer as tubulações, o visitante chega ao fundo do rio e descobre consequências devastadoras provocadas pelo descarte incorreto dos resíduos, como uma água turva e sem peixes. Neste momento, a interatividade se une com a responsabilidade que cada um ganha ao ser convidado a coletar o lixo e separá-los entre plástico e papel. “Quando propomos para as pessoas ajudar, elas imediatamente topam. Os dados que passamos no começo da atividade chocam e, neste momento, elas se sentem responsáveis e querem fazer mais”, conta Oliver.

Com as lixeiras devidamente cheias e o rio limpo, a água aos poucos fica cristalina, a vida retorna e o ecossistema se refaz com a aparição de peixes e animais marinhos. “Achei uma ação muito legal, porque eles fazem uma encenação de como você pode limpar o rio e poluir menos”, conta a estudante paulistana Stephany Melo, de 13 anos. Entusiasmada, ela ressalta que a partir de agora irá ajudar a coletar os resíduos nas ruas e na escola. “Sentimos um pouquinho da responsabilidade e da necessidade de ajudar”, completa.

Para a professora de ciências Andréia Santos, a experiência com o Caminho do Lixo é incrível e só enriquece os estudantes da Escola Estadual João Batista Vilanova Artigas, na zona Leste, onde leciona. “Trazê-los aqui oferece uma oportunidade para que se orientem, criem afinidade com o tema do meio ambiente e enriqueçam seu projeto de vida”, explica. Satisfeita com a participação dos alunos, ela reforça que “falar sobre o lixo dentro ou fora da escola ajuda a formar a cidadania”.

Foto1
Simulação de tubulação de esgoto em São Paulo. Foto: Atelier de Imagem e Comunicação

Green Nation

Criado em 2012 no Rio de Janeiro, tornou-se um dos principais eventos sobre sustentabilidade no país. Com mais de 56 horas de atrações, visa mostrar a importância de ações em prol do meio ambiente, como separação correta do lixo, reciclagem, preservação da água, das árvores e o reflorestamento. “A ideia é essa: fazer com que as pessoas percebam que a gente tem uma casa só, e somos uma família. Se essa família não cuida da sua casa, também não vai cuidar do nosso ambiente, da nossa cidade e do nosso planeta. A relação é muito mais direta quando as pessoas vivem experimentações”, defende Marcos Didone, diretor da entidade.  

Serviço do evento

Data: 25 a 31 de março
Local: Pavilhão das Culturas Brasileiras – Parque Ibirapuera (Portão 10)
Horários de funcionamento:
Dias 25, 26, 28 e 29: de 9h às 15h
Dia 27: de 14h às 15h (apenas para escolas cadastradas)
Dias 30 e 31: de 10h às 16h

Entrada Gratuita

 

Texto produzido em 27/03/2019


Últimas

Dicas de Reciclagem

Brasil produz 2,4 milhões de toneladas de eletrolixo por ano

Entenda o que é saiba onde descartar lixo eletrônico na cidade de São Paulo

18/06/2024
Notícias

São Paulo lança programa para melhorar gestão de resíduos

Projeto busca modernizar infraestrutura de tratamento e destinação do lixo no estado

17/06/2024
Notícias

Brasil reciclou seis mil toneladas de latas de alumínio desde 1990

Circularidade do material gera emprego e renda para 800 mil catadores de lixo reciclável

14/06/2024
Notícias

Governo Federal anuncia investimentos em cooperativas de reciclagem no Brasil

Liberação de R$ 8 milhões vai beneficiar mais de 15 entidades e associações do setor

13/06/2024