Recicla Sampa - Guerra aos canudos plásticos
Recicla Sampa
sp156

Para esclarecer dúvidas sobre os serviços de coleta domiciliar de resíduos sólidos, limpeza urbana e varrição pública entre em contato com o 156 ou clique aqui.

Guerra aos canudos plásticos

Veja outros artigos relacionados a seguir

Foto1
Canudos plásticos. Foto: Sabines/ Pixabay

Uma série de estudos e entrevistas concedidas por especialistas tem mostrado os diversos aspectos negativos da utilização desenfreada dos canudos plásticos pelas pessoas.

Veja quais são os principais motivos desses produtos terem se tornado grandes vilões ambientais:  

É um produto dispensável

Os canudos descartáveis são feitos de polipropileno e poliestireno, plásticos que levam séculos para se decompor. Chamados plásticos de uso único, os canudos são consumidos por poucos minutos e inutilizados facilmente. A campanha americana The Last Plastic Straw concluiu que, só nos Estados Unidos, são 500 milhões de canudos usados e jogados fora diariamente. No mundo, o volume é de 175 bilhões de canudinhos por ano.

Levantamento feito com base nos mutirões de limpeza da Semana Mares Limpos de 2017, movimento organizado pela ONU Meio Ambiente, em parceria com o Instituto Ecosurf, mostra que os canudos aparecem em terceiro lugar na lista dos dez itens mais retirados das praias brasileiras.

Difícil decomposição

A doutora em química pela USP e professora da Ufscar (Universidade Federal de São Carlos) e da Universidade de York (Inglaterra), Vania Zuin, afirmou em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo que o plástico nem chega a se decompor completamente. Isso acontece porque, já que estamos falando de um material recente na natureza, os microrganismos ainda não aprenderam a metabolizá-lo. Para ela, os caminhos naturais para a decomposição podem levar milhões de anos e, até lá, podemos estar afogados em plástico.

Ameaça às espécies marinhas

Estudo da Universidade de Plymouth, na Inglaterra, publicado pelo jornal Folha de S. Paulo aponta que os canudos plásticos são o principal vilão da poluição marinha e compõem 92% dos resíduos nos oceanos, ameçando 693 espécies marinhas.

A bióloga e pesquisadora da Universidade do Texas A&M,  Christine Figgener, segue esse mesmo pensamento. Em entrevista concedida ao Plastic Free Times, revista eletrônica da organização Plastic Pollution Coalition,  após a publicação de um vídeo, que viralizou na internet mostrando o resgate de uma tartaruga com um canudo plástico retirado de suas narinas, declarou: “Canudos são inúteis. É possível beber diretamente do copo. No vídeo que fizemos, mostramos onde parte desse lixo vai parar”. De acordo com a reportagem, o plástico estava alojado na cavidade nasal da tartaruga, descendo até a garganta e inibindo a respiração e o olfato – principal meio utilizado por ela para encontrar comida, comprometendo a orientação e a migração do animal. Assista ao vídeo completo aqui.

Com mais de 33 milhões de visualizações, o vídeo feito em 2015 é compartilhado até hoje nas redes sociais e trouxe à tona as discussões em torno do uso do material e motivou campanhas de famosos e marcas globais contra o produto.

Fontes:

ONU – levantamento semana Mares Limpos, Folha de S. Paulo, The Last Plastic Straw, Plastic Pollution Coalition, ONU – Declaração Dia Mundial do Meio Ambiente

 

Texto produzido em 21/11/2018

 

 

 


Últimas

Notícias

Projeto de lei quer celulares com baterias removíveis e substituíveis

Regra evitaria que milhões de aparelhos sejam inutilizados e descartados precocemente

28/02/2024
Dicas de Reciclagem

Como a reciclagem do lixo ajuda o meio ambiente

Entenda por que separar corretamente o lixo reciclável contribui para um mundo sustentável

27/02/2024
Notícias

Assembleia da ONU para o Meio Ambiente começa no Quênia

Encontro busca definir prioridades e desenvolver legislação ambiental internacional

26/02/2024
Notícias

Indicadores da coleta de lixo melhoram no Brasil, indica Censo

Com 99% da população atendida, São Paulo e outras capitais lideram ranking brasileiro

23/02/2024