Medalhas Olímpicas do Japão serão feitas de resíduo eletrônico

20/09/2019

Imagem - De acordo com o Ministério do Meio Ambiente do país, mais de 80 mil smartphones foram arrecadados. Foto: Gerd Altmann / Pixabay

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente do país, mais de 80 mil smartphones foram arrecadados. Foto: Gerd Altmann / Pixabay

O Japão tem buscado se tornar uma potência sustentável. Após proibir canudos e acessórios de plástico em cafeterias dentro de prédios do governo, o país decidiu que irá fabricar as medalhas dos Jogos Olímpicos de 2020 a partir de lixo eletrônico descartado.

Desde 2017, autoridades municipais estão realizando a coleta de celulares usados e outros aparelhos eletrônicos em lojas, agências de correio e até mesmo nos domicílios. Segundo o Ministério do Meio Ambiente do Japão, mais de 80 mil smartphones já foram arrecadados até o momento, e estima-se que até o início dos Jogos se atinja a marca de 47 toneladas de resíduos arrecadados.

Cerca de 5 mil medalhas devem ser confeccionadas com a matéria-prima, e engana-se quem pensa que os itens não serão de ouro, prata e bronze. Para a fabricação, esses três elementos serão retirados dos objetos coletados. Cada medalha contará com 0,048 grama de ouro, 0,26 grama de prata e 12 gramas de cobre. As de ouro devem ser banhadas com pelo menos seis gramas de ouro puro.

A campanha de arrecadação só está sendo possível graças ao apoio de população. O Comitê Organizador dos Jogos estima que 70% das cidades japonesas aderiram à campanha.  

Fontes: Época Negócios, Conexão Planeta, O Globo

Texto produzido em 18/03/2019

Tags: notícias
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados