Nova Zelândia retira embalagens plásticas do setor de hortifrutis

06/11/2019

Imagem - Rede de supermercados do país criou um novo sistema de refrigeração para maior durabilidade dos alimentos e dessa forma evitar uso de plástico. Foto: NZ Herald

Rede de supermercados do país criou um novo sistema de refrigeração para maior durabilidade dos alimentos e dessa forma evitar uso de plástico. Foto: NZ Herald

A rede de supermercados New World Bishopdale, na Nova Zelândia, decidiu abolir o uso de embalagens plásticas e invólucros, um tipo de embalagem para proteção de alimentos     na seção de hortifrutis. A medida faz parte da campanha Food in the Nude, ou “comida nua”, em português.

Para que as frutas, verduras e legumes continuem frescas, o estabelecimento criou um novo sistema de refrigeração. As prateleiras contam com um processo de nebulização, onde a hidratação dos alimentos acontece por um vapor de água. Segundo o tradicional jornal neozelandês NZ Herald, a iniciativa resultou em um aumento de 300% nas vendas.

“Quando você faz grandes mudanças, como esse projeto está fazendo [de erradicar o plástico dos supermercados], as consequências podem ser desastrosas e levar a um aumento da rejeição de clientes. Porém, em meus 30 anos no ramo de supermercados, esta simples mudança resultou no mais positivo impacto entre os meus clientes desde então”, disse o comerciante Nigel Bond, dono de um dos supermercados que participam da ação, ao portal Razões Para Acreditar.

Ainda de acordo com informações do site, alguns alimentos como uvas e tomates ainda estão sendo dispostos em pacotes de plástico, enquanto cogumelos estão sendo embalados em bandejas de papelão. A boa notícia é que a maior parte dessas embalagens pode ser reciclada.

A rede também está aproveitando a ação para incentivar seus consumidores a levarem sacolas retornáveis na hora das compras. No país, os recipientes plásticos estão com os dias contados. Produtores de alimento locais assinaram a Declaração de Embalagens Plásticas, onde se comprometem a tornar embrulhos e rótulos dos mercados e mercearias 100% reutilizáveis, recicláveis ​​ou compostáveis ​​até o ano de 2025.

Fontes: Razões Para Acreditar, Ciclo Vivo

Texto produzido em 04/06/2019

Tags: notícias
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados