Paquistaneses são pagos para plantar 10 bilhões de árvores na pandemia

07/07/2020

Imagem - A iniciativa foi criada pelo primeiro-ministro, Imran Khan, e tem como meta diminuir a temperatura global e o risco de desastres naturais, como inundações e secas, ocasionadas pela mudança climática. Foto: Go Hurb

A iniciativa foi criada pelo primeiro-ministro, Imran Khan, e tem como meta diminuir a temperatura global e o risco de desastres naturais, como inundações e secas, ocasionadas pela mudança climática. Foto: Go Hurb

Mais de 63 mil pessoas que estavam desempregadas no Paquistão foram pagas pelo governo para plantar mais de 10 bilhões de árvores pelo país. A ação faz parte de um projeto de reflorestamento para suavizar os danos causados por um tsunami que ocorreu em 2010.

A iniciativa foi criada pelo primeiro-ministro, Imran Khan, e tem como meta diminuir a temperatura global e o risco de desastres naturais, como inundações e secas, ocasionadas pela mudança climática.

O país figura entre os cinco primeiros de uma lista que aponta quais são as nações que mais sofreram com o aquecimento global nos últimos 20 anos. O dado é do Índice Global de Risco Climático 2020, documento produzido pelo observatório do clima alemão Germanwatch.

Muitas vegetações poderiam amenizar essa questão no Paquistão, porém a densidade das árvores no país é menor do que a de seus vizinhos territoriais, como a China, a Índia e o Irã. Por isso, o plantio de bilhões de árvores pode ajudar a absorver e armazenar bilhões de toneladas de carbono, substância responsável pelo aquecimento global.

“Apesar da trágica crise que a pandemia causou, ela também proporcionou uma oportunidade, pois nutrir a natureza é uma chance de resgatarmos o nosso meio ambiente e as milhares de pessoas que ficaram desempregadas”, disse Malik Amin Aslam, consultor de mudanças climáticas do primeiro-ministro.

Fonte: Catraca Livre

Texto produzido em 23/06/2020

Tags: notícias
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados