CCSP recebe o evento de lançamento do Movimento Recicla Sampa

Lançamento do Movimento Recicla Sampa. Foto: Thiago Mucci

Recicla Sampa pode transformar realidade de bairros

07/02/2019

Imagem - Secretário Municipal das Subprefeituras, Alexandre Modonezi. Foto: Thiago Mucci

Secretário Municipal das Subprefeituras, Alexandre Modonezi. Foto: Thiago Mucci

Com um auditório cheio, o Centro Cultural São Paulo contou com uma manhã diferente nesta quinta-feira, 7 de fevereiro. O espaço, exemplo na gestão da coleta seletiva, recebeu o evento de lançamento do Movimento Recicla Sampa, uma iniciativa das concessionárias Loga e EcoUrbis, com apoio institucional da Prefeitura de São Paulo, através da Autoridade Municipal de Limpeza Urbana, a AMLURB.

A meta do Movimento é reduzir em 500 mil toneladas o montante de resíduos enviados aos aterros municipais no período de quatro anos, conforme consta na meta 24, do Plano de Metas da Prefeitura. Os dados mostram que, apesar do potencial de reciclar 40% dos seus resíduos, a cidade atualmente só reaproveita 7% do lixo produzido.

O objetivo depende essencialmente de uma mudança de comportamento dentro de casa: separar o lixo em dois (comum e reciclável). A boa notícia é que interessados em encabeçar essa transformação não faltam. Os subprefeitos das regiões de Cidade Ademar, Lapa, São Miguel Paulista, Sapopemba e São Mateus marcaram presença no evento a fim de destacar seu envolvimento e engajamento com o Movimento.

Para Roberto Bernal, subprefeito de São Mateus, na zona leste de São Paulo, a plataforma do Recicla Sampa será uma ferramenta que pode disseminar ainda mais a cultura da coleta seletiva para os mais de 200 mil habitantes da região. O Movimento, segundo ele, pode ajudar a amplificar o aumento da taxa da coleta seletiva, inclusive na região. “Aumentando a oferta de resíduos secos, por meio das cooperativas, também aumenta a inclusão social e profissional das pessoas que precisam de trabalho. Sem falar que melhora a economia da região também”, disse Bernal.

Já para Edson Marques, subprefeito de São Miguel Paulista, na zona leste da cidade, a coleta seletiva já faz parte da história do local, pois o bairro abriga muitas cooperativas, inclusive as informais que precisam se regularizar.

“Eu espero que com o Movimento os nossos cooperados tenham respaldo técnico e informativo sobre o assunto e possam sair da informalidade”, destaca Edson. 

Representando a população de quase 300 mil moradores de Sapopemba, também na zona leste de São Paulo, o subprefeito Mario Corochel Neto disse que o Recicla Sampa veio agregar e ajudar a região, pois ainda é preciso melhorar bastante a separação dos materiais recicláveis no local. “Eu creio que ele servirá principalmente como uma ferramenta de comunicação e conscientização para a população”, observou.

Além de chefe de gabinete da Subprefeitura de Sapopemba, Marlon Salles também mantém um projeto de educação ambiental com crianças e frequentadores da igreja local. “A cada garrafa pet recolhida, nós premiamos a pessoa com algum brinde e separamos o material para a coleta seletiva. Quem mais adora participar do projeto, com certeza, são as crianças”, contou.

Imagem - Foto: Recicla Sampa

Foto: Recicla Sampa

Nas escolas

A maioria das crianças da região de Sapopemba estuda na Escola Municipal de Educação Fundamental (EMEF) Vinícius de Moraes, que já mantém a coleta seletiva e administra uma horta orgânica para crianças. Presentes no evento, a diretora Elis França e a professora Daiana Monteiro disseram que o Recicla Sampa será uma cartilha de educação ambiental com potencial de nortear alunos e professores na educação ambiental.

“Eu adorei o conteúdo do site. Com certeza será uma ferramenta para educar nossas crianças”, comemorou a diretora.

Tags: matérias, reportagens
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados