Comece a reciclar!

Papelão. Foto: Aggie 11/shutterstock.com

Recicláveis X Lixo Comum

11/12/2018

A maioria dos brasileiros sabe pouco ou nada a respeito da coleta seletiva e apenas uma em cada quatro pessoas separam o lixo corretamente em suas casas, apontam os dados de uma pesquisa divulgada pelo IBOPE Inteligência encomendada pela Ambev. Para mudar esse cenário, montamos um guia para ajudar você a reciclar mais.

Papel, plástico, metal, vidro, todos esses são materiais recicláveis? Preciso separar os materiais ou apenas juntá-los em uma mesma sacola? Devo separar o lixo comum do reciclável? O mesmo caminhão transporta os dois tipos de resíduos ou não? Reciclar é mais fácil do que você imagina! Vamos começar?

Imagem - Separe o lixo em dois: lixo comum e reciclável. Foto: Recicla Sampa

Separe o lixo em dois: lixo comum e reciclável. Foto: Recicla Sampa

O primeiro passo é separar o seu lixo em dois sacos diferentes. Tenha duas lixeiras para facilitar o processo, em uma delas será feito o depósito do lixo comum, e na outra, reciclável.

O segundo passo é entender o que é o lixo comum: todo material como restos de comida, frutas e legumes, lixo do banheiro, guardanapos sujos, bitucas de cigarro, folhas secas e esponjas de limpeza, entre outros. Vale lembrar que as frutas, folhas secas, legumes que fazem parte do lixo comum pode ser reciclado em sua casa por meio da compostagem, gerando adubo para ser usado em seu jardim. Os guardanapos sujos, bitucas, papel higiênico e esponjas ficam de fora! Você pode conhecer um pouco mais sobre esse processo aqui.

O terceiro passo é conhecer quais tipos de materiais são recicláveis: papel, metal, vidro, plástico, garrafas pet, latas de alumínio, embalagens de frutas, de leite (tetra pak), de ovos, de produtos de limpeza e higiene, sacos e sacolas, utensílios de cozinha de plástico. Para descartá-los corretamente, basta higienizar as embalagens, de preferência com água reutilizável da lavagem de roupas da máquina de lavar, por exemplo, ou guardanapos que serão descartados de qualquer maneira. Lembre esses resíduos devem estar secos. Procure não gastar muita água ou gerar mais resíduos nesse processo! E nem deixar o seu resíduo molhado, isso pode inviabilizar a reciclagem.

O quarto passo pode ser considerado um dos mais importantes, pois é o momento do descarte dos sacos de lixo. Eles são divididos por cores: sacos azuis ou transparentes servem para os recicláveis e, os sacos pretos, para o descarte do lixo comum. Objetos grandes como restos de móveis e utensílios domésticos devem ser desmontados e colocados em sacos de até 200 litros. Saber o horário correto que o caminhão de coleta passa é fundamental para que todo o trabalho que você teve de separação do lixo tenha o destino final correto. São dois caminhões diferentes: o de lixo comum e o de reciclável, que passam em dias e horários alternados. Em São Paulo, você pode se informar sobre o caminhão da coleta seletiva pelo nosso site.

Pilhas diversas. Foto: Ververidis Vasilis/shutterstock.com

Tenho um vidro quebrado, e agora?

Descartar vidros quebrados requer atenção redobrada. O ideal é sempre envolver ou embrulhar o vidro em jornais ou papéis de espessura grossa, além de sinalizar que tipo de material contém ali. Isso evita que tanto o coletor como você se machuquem.

Eletrônicos, pilhas e remédios como descartar?

Esses materiais têm alto poder de contaminação do meio ambiente e nunca podem ser descartados no lixo comum ou no reciclável. As pilhas e lâmpadas devem ser colocadas em um recipiente separado. As pilhas podem ser colocadas em garrafas pet para facilitar o armazenamento e o transporte, e as lâmpadas devem ser embaladas em papéis, jornais ou caixas de papelão para evitar que se quebrem. Devem ser levados aos postos de entrega. Já os medicamentos e remédios vencidos devem ser levados às farmácias ou postos de saúde. Conheça os pontos de descarte desses materiais mais perto de sua casa aqui.

Reciclar é importante porque diminui a geração de lixo destinado aos aterros, preserva o meio ambiente, evita o desperdício, e não causa danos à saúde das outras pessoas e animais. São pequenas atitudes que vão contribuir para um planeta mais sustentável!

Tags: reportagens, vídeos
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados