Sobras de tecido são utilizadas para produzir bolsas e acessórios - Recicla Sampa
Recicla Sampa
sp156

Para esclarecer dúvidas sobre os serviços de coleta domiciliar de resíduos sólidos, limpeza urbana e varrição pública entre em contato com o 156 ou clique aqui.

Compartilhar - WhatsApp Compartilhar - Facebook Compartilhar - Twitter Compartilhar - Linkedin

Sobras de tecido são utilizadas para produzir bolsas e acessórios

23 de Dezembro de 2019,00h00

Foto1
Cerca de duas toneladas de tecidos foram recuperadas para virar novos produtos. Foto: Funcionárias

Cerca de duas toneladas de resíduos que poderiam ir para o aterro sanitário industrial de Joinville, em Santa Catarina, foram recuperados. Isso graças a artesã Ana Carolina de Luz, 36 anos, que fundou ao lado da mãe a marca Funcionárias, que produz bolsas e acessórios a partir de retalhos reutilizados. A ideia nasceu do incômodo da profissional com as sobras de tecidos que eram descartadas no setor da tecelagem de uniformes.

Os produtos, além de sustentáveis, buscam contar um pouco sobre a história da área catarinense: os itens são identificados com etiquetas, feitas em papel reciclado, que lembram os antigos cartões de ponto dos trabalhadores das fábricas de tecido do início do século 20 da região. Nas tags, as clientes também encontram carimbado a figura de uma bicicleta, fazendo referência ao principal meio de transporte da época na cidade, e a entrada e saída dos funcionários das indústrias na década de 70 e 80.

A preocupação com o descarte incorreto não está apenas na produção dos acessórios. A empresa também oferece aos clientes, no ato da compra, uma sacola de tecido que pode ser usada como ecobag. E os tecidos que não conseguem ser reutilizados ganham outra finalidade.

“Os pequenos retalhos que sobram do processo de produção são usados para enchimento de almofadas que doamos para protetores de animais em Joinville e são usadas como caminhas para cães e gatos resgatados por eles”, relatou Ana Carolina ao site Ciclo Vivo.

Destaque por três anos consecutivos na Feira de Artesanato da América Latina, que acontece em Recife, a marca utiliza sobras de tecidos de duas fábricas de uniformes para sua confecção. As peças também já foram expostas em diferentes locais de Santa Catarina, Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro.

Fontes: Ciclo Vivo, Moda Limpa

Texto produzido em 08/10/2019

Ícone - Carta

Receba nosso conteúdo


Últimas

Notícias

Com alta reciclabilidade, cobre é um resíduo valioso

Furto de cabos de semáforos na cidade de SP subiu 47% no primeiro semestre de 2022

03/08/2022
Notícias

Saiba como descartar o lixo de forma correta

É muito fácil separar os diferentes tipos de resíduos e começar a reciclar

02/08/2022
Notícias

Comissão da Câmara debate reciclagem de carros velhos no Brasil

Apenas 1,5% do carros velhos são reciclados no país; na Europa, índice chega a 85%

01/08/2022
Notícias

Maior parte do plástico de delivery não é reciclada, revela estudo

Dados inéditos indicam aumento de 46% de plástico enviado nos pedidos

29/07/2022