Iniciativa da Ecourbis disponibiliza contêineres para coleta de vidro

13/12/2019

Imagem - Só na cidade de São Paulo, 20 toneladas de vidro são enviadas diariamente aos aterros sanitários. Foto: FreeImages

Só na cidade de São Paulo, 20 toneladas de vidro são enviadas diariamente aos aterros sanitários. Foto: FreeImages

Considerado um material infinitamente reciclável, o vidro é uma boa saída para aqueles que desejam eliminar o plástico de suas vidas. Material impermeável e inerte, sua qualidade não se perde no processo da reciclagem, sendo uma alternativa mais sustentável. No entanto, a coleta desse material ainda encontra diversas barreiras no Brasil: além de pesado, o vidro requer um cuidado específico para o manejo e transporte, e a maior parte dele ainda é destinada como lixo comum. Apenas na cidade de São Paulo, 20 toneladas são enviadas diariamente aos aterros sanitários.

Foi pensando nesse cenário que a EcoUrbis, concessionária responsável pela coleta de resíduos domiciliares nas zonas Sul e Leste da capital paulista, em parceria com a Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb), disponibilizou contêineres voltados para coleta específica do material. Os Pontos de Entrega Voluntária (PEVs) são um projeto piloto da concessionária que busca estimular a população a separar esse material. A ação contribui para a preservação do meio ambiente ao poupar recursos naturais e reduzir o volume de resíduos encaminhados ao aterro sanitário diariamente.

Desde 25 de novembro, moradores da zona Sul passaram a ter acesso aos PEVs disponíveis nas regiões de Capela do Socorro e Santo Amaro. Instalados em parques e praças da região, os equipamentos são destinados especificamente para o recebimento do material e possuem estrutura para receber os seguintes produtos: vidros em geral, garrafas de bebidas sem resíduos, potes de alimentos vazios, copos, taças e vidros quebrados.

Por possuírem um método diferente de separação e coleta, alguns materiais em vidro não devem ser descartados nos contêineres, como lâmpadas, espelhos, material de laboratório com resíduos químicos, resíduos contaminados e hospitalares. A EcoUrbis também orienta que demais tipos de materiais recicláveis, orgânicos e líquidos não sejam ali depositados para não inviabilizar a coleta.

Depois de coletado, o vidro segue para um contêiner especifico que fica localizado dentro da Central Mecanizada de Triagem Carolina Maria de Jesus, e é destinado de maneira correta para a reciclagem. O processo permite que o material retorne de maneira efetiva ao seu ciclo produtivo.

A estimativa da concessionária é contribuir para a redução da quantidade do material enviada diariamente aos aterros sanitários com o intuito de ampliar as taxas de reciclagem na capital. Segundo a EcoUrbis, a adesão da população é de extrema importância para que a iniciativa seja realizada em outros pontos da cidade e tenha prazo indeterminado.

Encontre um PEV

Os sete equipamentos disponibilizados pela EcoUrbis estão distribuídos nas seguintes vias:

  • Av. Nações Unidas, nº 22540 (em frente ao Shopping SP Market)
  • Praça Ramiro Cabral da Silva (Av. Antônio Barbosa da Silva Sandoval X Rua Lauzane)
  • Praça João Pedro da Luz (Av. Inácio da Cunha Leme, 515- canteiro central)
  • Praça Enzo Ferrari (em frente ao Autódromo de Interlagos)
  • Praça Capitão Antônio Dell Zotto (Rua João P. Viegas, 1154 x Rua Eriberto B. Cajazeiras)
  • Av. Miguel Yunes, nº500
  • Parque Severo Gomes (Rua Mario Reis X Rua Barbosa Lopes)

Materiais que podem ser descartados

  • Vidros em geral
  • Garrafas de bebidas sem resíduos
  • Potes de vidro
  • Copos
  • Taças
  • Vidros quebrados

Materiais que não podem ser descartados

  • Lâmpadas
  • Espelhos
  • Orgânicos
  • Rolhas
  • Líquido
  • Materiais hospitalares
  • Materiais de laboratório com resíduos químicos

Encontre aqui os pontos de coleta para destinação correta desses materiais. 

 

Texto produzido em 12/12/2019

Tags: matérias
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados