No mês do meio ambiente, interesse por reciclagem triplica na capital

08/06/2020

Imagem - Desde o lançamento da plataforma, em fevereiro de 2019, foram mais de 204 mil acessos ao site do Recicla. Foto: Rawpixel / Freepik

Desde o lançamento da plataforma, em fevereiro de 2019, foram mais de 204 mil acessos ao site do Recicla. Foto: Rawpixel / Freepik

Junho é o mês do meio ambiente, comemorado oficialmente no dia 5, e os paulistanos têm motivos extras para marcar a data: dados do Movimento Recicla Sampa apontam que triplicou o interesse da população sobre o tema da reciclagem. O mesmo ocorreu com a quantidade de itens recicláveis coletados, apontando um crescimento de 25%. Desde o lançamento da plataforma, em fevereiro de 2019, foram mais de 204 mil acessos ao site do Recicla.

O comparativo de fevereiro a abril de 2020 com o mesmo período do ano passado mostra que os acessos passaram de 20.845 para 79.378, um aumento de 280%. Os conteúdos mais procurados são: os pontos e horários de coletas na cidade de São Paulo, e matérias sobre o impacto do lixo, além de informações sobre lixo reciclável.

A média de visita por mês é de 20 mil acessos, sendo que em abril, durante o isolamento social, houve um crescimento na quantidade de usuários, com 26,5 mil visitas. O público da plataforma é majoritariamente feminino, com 70% da participação.

Durante este período de isolamento social, os conteúdos que tiveram mais acessos foram: a diferença entre lixo orgânico e reciclável, como fazer uma máscara com sua camiseta velha e o impacto do lixo na cidade de São Paulo.

Os dados reforçam os números apontados pela Amlurb (Autoridade Municipal de Limpeza Urbana), que identificou que a coleta seletiva na capital paulista aumentou 25% na primeira quinzena do mês de abril em relação ao mesmo período do ano anterior. Além disso, foram coletadas 4 mil toneladas de recicláveis. No mesmo período, em 2019, foram recolhidas 3,2 mil toneladas.

“Esse crescimento é muito positivo para a cidade e atribuímos a ele, não somente o período de isolamento social, mas as ações de educação ambiental que trabalhamos constantemente, como o Movimento Recicla Sampa”, comenta Edson Tomaz de Lima Filho, presidente da Amlurb.

A professora universitária, Carla Sena, 50 anos, confirma que desde que se encontra em quarentena em casa, na zona Oeste de São Paulo, dobrou a quantidade de recicláveis. “Moramos em quatro pessoas no apartamento, levávamos cerca de cinco dias para encher a lixeira. Hoje, a cada dois dias, temos que ficar levando os resíduos para fora”, disse.

Para ela, iniciativas como o Recicla ajudam a população a se orientar na hora do descarte correto. “Como professora, acredito que a melhor maneira de informar e incentivar a população de São Paulo a destinar o lixo reciclável da maneira certa é por meio da educação ambiental, oferecendo conteúdos sobre o assunto”. 

Na capital, o destino dos resíduos recicláveis continua sendo as Centrais Mecanizadas de Triagem, que possuem capacidade operacional de 500 toneladas por dia (250 cada). Anteriormente, as Centrais operavam com metade da produção. Agora, com o aumento de recicláveis, trabalham com cerca de 70% de sua capacidade.

Além disso, o mês do Meio Ambiente também está sendo marcado pelo cuidado e proteção que devemos oferecer aos coletores de resíduos que continuam trabalhando pelas ruas de São Paulo para manter a saúde da cidade.

Portanto, para realizar o descarte correto, o recomendado por órgãos municipais é reforçar os sacos de lixo. Os resíduos devem ser ensacados duas vezes em materiais resistentes, descartáveis e com enchimento de até dois terços da sua capacidade. Essa medida visa evitar o contato dos coletores com possíveis resíduos contaminados.

O Recicla Sampa separou algumas dicas simples para a prática da coleta seletiva:

  1. Tenha duas lixeiras em casa. Uma para lixo orgânico e outra para lixo reciclável. Se possível, coloque etiquetas indicando cada uma delas;
  2. Não molhe o material reciclável. Isso inviabiliza seu reaproveitamento; Retire os resíduos de embalagens de vidro, plástico, longa vida, garrafas pet e latas antes de reciclá-las;
  3. Na hora de descartar materiais cortantes - vidro, por exemplo - não esqueça de embrulhar em jornais ou papéis de espessura grossa e etiquetar. Isso evita que o coletor se machuque;
  4. Restos de alimento e cascas de frutas são lixo orgânico. Por isso, não misture com o reciclável;
  5. Não jogue luvas e máscaras de proteção no reciclável.

Texto produzido em 05/06/2020

Tags: matérias
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados