Recicla Sampa - Novo pac promete R$ 18 bilhões para gestão de resíduos no Brasil
Recicla Sampa
sp156

Para esclarecer dúvidas sobre os serviços de coleta domiciliar de resíduos sólidos, limpeza urbana e varrição pública entre em contato com o 156 ou clique aqui.

Novo pac promete R$ 18 bilhões para gestão de resíduos no Brasil

Veja outros artigos relacionados a seguir

Foto1
Investimentos vão priorizar projetos em parceria com estados, municípios e setor privado. Foto: Antonio Brasiliano

Em um texto publicado no site da Casa Civil, o governo federal anunciou investimentos de R$ 1,8 bilhão nos próximos três anos para fomentar a gestão adequada dos resíduos sólidos no Brasil.

De acordo com a nota, os investimentos estão vinculados ao Novo PAC e têm por objetivo ampliar a cobertura e a eficiência dos serviços públicos de tratamento e disposição adequada do lixo urbano gerado no país.

“Ainda hoje, milhares de toneladas de lixo são dispostas de maneira inadequada no ambiente, provocando a propagação de doenças, poluindo mananciais e obstruindo infraestruturas de drenagem”, destaca a equipe de comunicação da pasta.

Ainda de acordo com a nota, os investimentos vão priorizar projetos intermunicipais em parceria com estados, municípios e setor privado.

Por sinal, essa é uma orientação do Banco Mundial, que recentemente avaliou e apresentou as dificuldades do setor em diferentes regiões do planeta.

O programa também incentiva ações que aumentam a cobertura da coleta seletiva, com atenção especial para cooperativas de catadores e para iniciativas que buscam fomentar alternativas inovadoras no reaproveitamento do lixo reciclável.

“Essas ações contribuirão para a erradicação dos lixões, para o incentivo à economia circular e para o enfrentamento às mudanças climáticas. Nesta área haverá seleções para que estados e municípios apresentem seus projetos prioritários”, informa a Casa Civil.

Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil

Cada brasileiro gerou aproximadamente um quilo de lixo por dia em 2022, informa a nova edição do Panorama dos Resíduos Sólidos, divulgada pela Associação Brasileira de Resíduos e Meio Ambiente (Abrema) no último dia 11 de dezembro.

Ainda segundo o documento, se esse valor for aplicado à população brasileira divulgada pelo Censo Demográfico 2022, estima-se que aproximadamente 77,1 milhões de toneladas de Resíduos Sólidos Urbanos foram geradas no país em 2022.

Isso corresponde a mais de 211 mil toneladas de resíduos geradas por dia, ou cerca de 380 quilos por habitante nos últimos doze meses.

Sob a perspectiva regional, a região sudeste é a campeã da geração de lixo. São 449 quilos gerados por habitante em 2022. No fim da lista está a região sul, com 284 quilos por habitante.

“Comparando a geração de resíduos no Brasil entre 2021 e 2022, observa-se uma redução de 2% na geração de RSU per capita”, aponta o texto do relatório.

Essa retração, de acordo com a Abrema, é consequência da diminuição do poder de compra da população, somada ao fim da pandemia, que derrubou o volume dos pedidos de delivery e o consumo doméstico.

Coleta de destinação dos Resíduos Sólidos Urbanos

A Abrema afirma que 93% dos resíduos sólidos gerados no Brasil no último ano foram devidamente coletados, mas apesar do índice parecer bom, pelo menos cinco milhões de toneladas acabaram em lixões irregulares ou no meio ambiente.

Já no quesito disposição final ambientalmente adequada, os números são preocupantes. No total, 61% foram destinados aos aterros sanitários. Os outros 38,9% tiveram disposição final inadequada e esse problema impacta todas as regiões do país.


Últimas

Notícias

O papel da Economia Circular na sustentabilidade do planeta

Entenda a importância da transição para novos modelos de produção e consumo

12/04/2024
Dicas de Reciclagem

Cotonetes de plástico não são reciclados no Brasil

Conheça opções de hastes plásticas sustentáveis a preços acessíveis

11/04/2024
Notícias

Construção de casas sustentáveis cresce no Brasil

Número de residenciais verdes no país cresceu 40% entre 2022 e 2023

10/04/2024
Notícias

InfluenceMap revela quem são os grandes poluidores do mundo

Relatório aponta para 57 organizações dos setores de combustíveis fósseis e cimento

09/04/2024