Sapatos feitos com restos de frutas e verduras são criados na Itália

24/11/2020

Imagem - Calçados são feitos com restos de maçãs, cascas de uvas, folhas de abacaxi e outros resíduos alimentares que, juntos, imitam couro. Foto: Instagram/ ID.EIGHT

Calçados são feitos com restos de maçãs, cascas de uvas, folhas de abacaxi e outros resíduos alimentares que, juntos, imitam couro. Foto: Instagram/ ID.EIGHT

Iniciativas para desviar resíduos dos aterros sanitários não faltam pelo mundo. Atualmente, na Itália, sapatos feitos com restos de frutas e verduras foram criados para contribuir com o meio ambiente.

A ideia surgiu por meio de parceria entre o designer coreano Dong Seon Lee e a gerente de produtos italiana Giuliana Borzillo, que fundaram a startup ID.Lab e nomearam a linha de tênis sustentáveis de ID.EIGHT.

Os calçados são feitos com restos de maçãs, cascas de uvas, folhas de abacaxi e outros resíduos alimentares que podem ser usados na criação de imitações de couro para compor o sapato. No produto, até as solas são produzidas com borracha reciclada.

Além disso, a caixa que embala o tênis é feita com papelão reciclado e ainda contém sementes de flores para serem plantadas em vasos ou no jardim. A ideia dos criadores é florescer o meio ambiente para chamar as abelhas, insetos que estão correndo risco de desaparecer do planeta.  

Os criadores dos calçados querem produzi-los de forma ética, então toda a cadeia de produção será acompanhada: desde os materiais até o transporte. O objetivo é garantir que empresas fornecedoras e parceiras não tenham trabalho escravo, não explorem seus funcionários e que respeitem os direitos sindicais.

A primeira coleção conta com dois modelos: Duri e Hana e foram projetados para serem casuais e unissex para atingirem todos os gêneros e com cores que agradam a todos os gostos.

Para ser lançado no mercado, foi criado uma campanha em uma plataforma de financiamento coletivo, a Kickstarter, para juntar fundos para a produção comercial do produto.

O calçado é mais um item criado com o objetivo de valorizar a economia circular no mundo, gestão econômica em que é possível empreender sem destruir a natureza e aproveitar os materiais recicláveis.

Fonte: In Toscana

Texto produzido em 06/04/2020

Tags: notícias
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados