Universitários visitam central de reciclagem em São Paulo

06/06/2019

Imagem - Alunos de gestão ambiental da USP durante visita à Central Mecanizada de Triagem da EcoUrbis. Foto: Atelier de Imagem

Alunos de gestão ambiental da USP durante visita à Central Mecanizada de Triagem da EcoUrbis. Foto: Atelier de Imagem

Na zona Sul da capital paulista, uma estrutura que separa materiais para reciclagem funciona a todo vapor. Trata-se da Central Mecanizada de Triagem Carolina Maria de Jesus, administrada pela EcoUrbis, concessionária que faz a coleta de resíduos nas regiões Leste e Sul da cidade.

Na Semana Mundial do Meio Ambiente, realizada entre 1º e 6 de junho, a empresa abriu as portas para receber alunos do 4º ano do curso de Gestão Ambiental da USP (Universidade de São Paulo). Eles tiveram a oportunidade de deixar de lado a parte teórica das aulas de resíduos sólidos para observarem na prática o que acontece com os materiais que os munícipes separam em casa.

Foi a primeira vez que eles viram de perto o maquinário formado por esteiras, leitores óticos e outros equipamentos que separam os recicláveis por categoria (papéis, plásticos, metais, vidros e embalagens do tipo Tetra Pak), tamanho e cor. Saiba como funcionam essas máquinas recicladoras clicando aqui.

Os alunos ficaram surpresos ao saber que existe uma grande infraestrutura tecnológica preparada para receber os resíduos recicláveis. A estudante Natália Torres, de 21 anos, quebrou seu velho paradigma em achar que encontraria um local com forte cheiro de lixo. “Achei curioso em sentir que não há mau odor. Aqui é muito limpo”, disse.

Natália foi conferir com os próprios olhos o que fala em suas palestras de conscientização ambiental em condomínios. Ela é estagiária em uma empresa de reciclagem e uma de suas responsabilidades é falar sobre a importância de separar o lixo em casa.

“Eu me apaixonei pelo assunto da coleta seletiva e agora pude ver de perto a dimensão da estrutura que separa os nossos resíduos”, enfatizou.

O professor de Natália, Ednilson Viana, 52 anos, leciona a matéria de gestão sustentável de recursos sólidos há aproximadamente 15 anos. Ele conta que ultimamente tem verificado um aumento no interesse dos alunos em atuar profissionalmente na área de resíduos. “Temos estudantes que farão o trabalho de conclusão de curso sobre o assunto ou aqueles que já enviam currículos às empresas de reciclagem”, aponta.

O acadêmico acredita que o aumento da procura na área é devido à maior conscientização das pessoas no que tange à sustentabilidade e vontade de preservar os recursos naturais e criar ações para aumentar a reciclagem.

Imagem - Elisângela Leal, coordenadora de educação ambiental da EcoUrbis durante visitação na central de reciclagem. Foto: Atelier de Imagem

Elisângela Leal, coordenadora de educação ambiental da EcoUrbis durante visitação na central de reciclagem. Foto: Atelier de Imagem

A coordenadora de educação ambiental da EcoUrbis, Elisângela Leal, fez as palestras e acompanhou o grupo de alunos na visitação.  Ela acredita que essas visitas contribuem para incentivar as pessoas a separarem os resíduos em casa entre recicláveis e comum.

São Paulo recicla apenas 7% dos materiais gerados, ainda que a estimativa indique que 40% são passíveis de reciclagem.  De acordo com a profissional, a infraestrutura da empresa tem capacidade de receber cerca de 250 toneladas de resíduos por dia, sendo que diariamente separam apenas de 80 a 100. “Ao ver na prática a separação dos resíduos, as pessoas comentam que começarão a separar em casa ou aquelas que já fazem isso ficam com a prova de que a coleta seletiva realmente funciona”, conclui a profissional.

Texto produzido em 06/06/2019

 

Tags: matérias
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados