Empresa brasileira se especializa em reciclagem de roupas íntimas

22/12/2021

Imagem - Roupas íntimas. Foto: altaracreative / Shutterstock.com

Roupas íntimas. Foto: altaracreative / Shutterstock.com

O que fazer com roupas íntimas que já não usamos mais? Pensando em responder essa pergunta frequente, a marca Leninha Roupa de Baixo passou a recolher, desde 2019, calcinhas, cuecas e sutiãs de todo Brasil para transformar em almofadas.

O projeto “Reciclar para reinventar” tem como objetivo a coleta de roupas de baixo em qualquer estado de conservação, para reciclagem de resíduos têxteis que dificilmente seriam descartados corretamente, indo parar nos aterros sanitários ou nos lixões irregulares.

Além disso, todo o lucro obtido é reinvestido no projeto, para que ele siga se aperfeiçoando e continue existindo enquanto a Leninha estiver no mundo.O projeto leva em conta toda a cadeia do descarte, do início ao fim. Para a idealização do processo, a jornalista e co-fundadora da marca, Maria Antonia, pontua os obstáculos em lidar com a reciclagem com roupas de baixo.

“A grande dificuldade de reciclar calcinhas, cuecas e sutiãs é que são tecidos muito pequenos compostos por muitos materiais misturados, o que impossibilita que esse descarte volte a ser um tecido novamente, como é o caso de tecidos 100% por algodão, por exemplo”, explica Maria.

Além de ressignificar as roupas de baixo pela reciclagem, a iniciativa da Leninha ainda fomenta outros núcleos econômicos. Os detalhes das almofadas foram pensados junto ao coletivo de costureiras Flor de Cabruêra, que incentiva a sustentabilidade por meio do upcycling.

“Elas desenvolvem bolsas, mochilas, sacolas a partir de banners e outros materiais que iriam para o lixo. Dentro do nosso projeto, elas são as responsáveis por cortar e costurar nossas almofadas”, revela Maria.

Resíduos têxteis em SP

Na maior metrópole do Brasil, são geradas cerca de 63 toneladas de resíduos têxteis todos os dias. O dado é da Loga, empresa que faz a coleta na região Noroeste da capital paulista e recolhe os materiais nos locais considerados os polos da confecção: Brás e Bom Retiro, na zona central da cidade. A Vila Maria, na zona Norte, também é apontada pela empresa como outro lugar de grande desperdício de peças de roupas.

Como fazer o envio das roupas íntimas?

Por conta da pandemia, a caixa postal foi a forma mais segura encontrada pela marca para recolher os descartes. Dessa forma, caso você tenha interesse em participar do projeto de reciclagem, a Leninha está recebendo peças de todo o Brasil atualmente.

Confira abaixo todas as informações para o envio.

Caixa postal 78713
CEP 05011970
LENINHA ROUPA DE BAIXO

Texto produzido em 22/12/2021

Tags: notícias
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados