Jovem holandês cria sistema que pode limpar metade do Oceano Pacífico

03/07/2020

Imagem - Slat teve a ideia quando foi mergulhar nas águas gregas e viu um volume de plástico no mar maior do que a quantidade de peixes. Foto: Divulgação

Slat teve a ideia quando foi mergulhar nas águas gregas e viu um volume de plástico no mar maior do que a quantidade de peixes. Foto: Divulgação

Com apenas 19 anos, o holandês Boyan Slat encontrou uma solução que promete limpar o Oceano Pacífico em até 10 anos. Trata-se de uma barreira flutuante que aproveita as correntes oceânicas para fazer uma espécie de trincheira que bloqueia o lixo encontrado nos mares.

Em vez de usar métodos tradicionais, como embarcações e redes para a retirada do plástico, o sistema usa as correntes oceânicas naturais e ventos para transportar os materiais para uma barreira de coleta. Em uma experiência com um protótipo, a invenção do jovem recolheu resíduos que estavam a três metros de profundidade.

Slat teve a ideia quando foi mergulhar nas águas gregas e viu um volume de plástico no mar maior do que a quantidade de peixes.

 “Infelizmente, o plástico não desaparece sozinho. Daí me perguntei por que não podemos limpar isso?”, disse à imprensa.

A ação do jovem tem o apoio de mais de 100 pesquisadores e ambientalistas. A meta é remover 65 metros cúbicos de lixo por dia. Com um site que mostra todos os detalhes do sistema, Slat fez uma “vaquinha virtual” para colocar seu plano em ação.

Cerca de dois milhões de dólares são necessários para financiar esse sistema, mas em poucas semanas o jovem já conseguiu reunir 34% do montante com doações que variam entre cinco e dez mil dólares. Ao colaborar, o contribuinte sabe o quanto do valor doado será revertido em retirada de lixo no oceano.

Fonte: O Globo

Texto produzido em 05/05/2020

Tags: notícias
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados