Máscaras são descartadas incorretamente no litoral norte de São Paulo

21/09/2020

Imagem - Os objetos foram coletados por técnicos do projeto Argonauta que, todos os dias, fazem registros fotográficos das condições das praias. Foto: Instituto Argonauta / Divulgação

Os objetos foram coletados por técnicos do projeto Argonauta que, todos os dias, fazem registros fotográficos das condições das praias. Foto: Instituto Argonauta / Divulgação

Desde o início da pandemia do Coronavírus, mais de 20 máscaras foram encontradas nas areias das praias de Caraguatatuba, Ilhabela, São Sebastião e Ubatuba. De acordo com o oceanógrafo, Hugo Gallo Neto, diretor do Aquário de Ubatuba e do Instituto Argonauta, o descarte incorreto pode ser prejudicial para a saúde humana e dos animais, tanto por motivo de contaminação ou devido à sua decomposição e perigo do item ser ingerido por espécies aquáticas.

“As máscaras têm componentes orgânicos e sintéticos, e o descarte incorreto tanto pode representar um risco para saúde humana, porque uma máscara ainda pode conter por algum período o vírus, como para a fauna marinha. Muitas delas têm tecido sintético e tiras de elástico que perduram por muito tempo, e tudo isso pode durar um tempo no ambiente marinho e fazer mal à fauna marinha”, disse ao G1 do Vale do Paraíba.

Os objetos foram coletados por técnicos do projeto Argonauta que, todos os dias, fazem registros fotográficos das condições das praias. Os dados em parceria com a Marinha e o Aquário de Ubatuba são divulgados por meio do "Boletim do Lixo".

Segundo esse documento, os itens foram encontrados nas seguintes praias:

- Caraguatatuba: Capricórnio, Cocanha, Massaguaçu, Mococa e Prainha

- Ubatuba: Vermelha do Centro, Tenório e Praia Grande

- Ilhabela: Engenho D'Água e Armação em Ilhabela

- São Sebastião: Boraceia, Boiçucanga, Olaria e trilha do Camburizinho

Fonte: G1

Texto produzido em 31/08/2020

Tags: notícias
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados