Visitas às Centrais Mecanizadas de Triagem incentivam coleta seletiva - Recicla Sampa
Recicla Sampa
sp156

Para esclarecer dúvidas sobre os serviços de coleta domiciliar de resíduos sólidos, limpeza urbana e varrição pública entre em contato com o 156 ou clique aqui.

Compartilhar - WhatsApp Compartilhar - Facebook Compartilhar - Twitter Compartilhar - Linkedin

Visitas às Centrais Mecanizadas de Triagem incentivam coleta seletiva

23 de Setembro de 2019,12h00

Foto1
Concessionárias abrem as portas para que população conheça as máquinas das Centrais Mecanizadas de Triagem (CMT) que possuem tecnologias para separar os resíduos de forma eficiente: Foto: D4G

Toda sexta-feira uma equipe de profissionais da Loga, concessionária que realiza a coleta de resíduos da região Noroeste da capital, dedica o dia para receber estudantes e moradores da cidade. O ponto de encontro é a Central Mecanizada de Triagem (CMT) e Estação de Transbordo Ponte Pequena, na região central, administrada pela empresa. O mesmo acontece às terças e quintas na CMT Carolina Maria de Jesus, da concessionária EcoUrbis, que cuida dos serviços nas zonas Sul e Leste da capital.

Responsáveis por receber pessoas das mais diversas áreas de atuação, as empresas têm como principal objetivo a conscientização e a educação ambiental. Para isso, contam com um auditório destinado a palestras, com cadeiras que lembram uma sala de aula, e um espaço dentro das centrais mecanizadas onde é possível assistir a todo processo das máquinas que atuam na triagem do material reciclável. Os sistemas dispõem de sistemas tecnológicos usados em países referências no processo, como Alemanha e França.  

Foi pensando nisso que a Semana Lixo Zero incluiu em sua extensa programação na cidade de São Paulo uma visitação à CMT Ponte Pequena e outra à CMT Carolina Maria de Jesus. Os eventos, que aconteceram nos dias 18 e 22 de outubro, respectivamente, contaram com a presença de diferentes profissionais interessados em conhecer o destino de seu lixo.

Foto1
Visitantes conhecendo processo das máquinas que atuam na triagem do material reciclável da CMT Carolina Maria de Jesus. Foto: Atelier de Imagem e Comunicação

Uma das inscritas foi a autônoma Lilian Velloso Pereira, 41 anos, que apareceu na concessionária Loga com diversas folhas de anotações e estudou o assunto antes da visita. Ela explicou que entrou em sites de pesquisa, como o Recicla Sampa e o portal da Amlurb (Autoridade Municipal de Limpeza Urbana) para se informar sobre o tema.

“Fiz isso para tirar as principais dúvidas aqui e também porque pretendo fazer palestras sobre a importância de reciclar o lixo para o público infanto-juvenil em escolas”.

Segundo a agente ambiental Érika Ravene, 26 anos, que atua há dois anos na empresa e é uma das responsáveis por fazer palestras sobre o caminho do lixo, o conhecimento ambiental para os jovens é a melhor maneira de formar um cidadão consciente para o futuro. “Nosso trabalho de conscientizar ambientalmente a população de São Paulo, principalmente os jovens, é fundamental para incentivar a prática da coleta seletiva e apresentar a tecnologia de ponta que a cidade possui para fazer a reciclagem”.

Etapas da visitação

O roteiro de visitação é divido em duas partes: teórica e prática. Na primeira, há uma apresentação sobre o descarte correto, ciclo de resíduos e a importância da responsabilidade compartilhada, onde as pessoas podem compreender a dimensão do lixo que geram em números, como o fato de que 1,6 milhão de domicílios geram aproximadamente 6 mil toneladas de resíduos diários.

Já na parte prática, os visitantes entram nas Centrais de Triagem e se deparam com o funcionamento de esteiras, leitores ópticos e agentes ambientais que realizam o processo de controle manual dos resíduos. Embora inauguradas no mesmo ano e com a mesma capacidade de processar 250 toneladas de materiais por dia, as Centrais se diferenciam nos processos.

Na Loga, um fosso de oito metros de profundidade, 10 de largura e 50 de comprimento, recebe o lixo gerado pela região Noroeste da cidade, correspondendo ao peso de quase mil elefantes por dia. “

É empolgante quando vejo as expressões de choque no rosto das pessoas ao observarem a quantidade de lixo que foi gerada diariamente”, diz João Paulo Lopes da Costa, analista técnico da empresa que fica na sala de controle dos resíduos.

Foto1
Érika Ravene e João Paulo Lopes da Costa, profissionais da Loga, que recebem os interessados em conhecer o caminho do lixo. Foto: Atelier de Imagem e Comunicação

Há 8 anos na concessionária, João explica aos participantes como é o tratamento do resíduo comum, depositado no fosso e levado para um aterro sanitário em Caieiras. Ele também é o responsável por contar como funcionam as etapas da CMT Ponte Pequena, por onde passam os materiais recicláveis divididos em categoria, como papéis, plásticos, metais, vidros e embalagens do tipo Tetra Pak.

O funcionamento por meio de esteiras também acontece na EcoUrbis, onde o espaço não é dividido com a estação de transbordo, como funciona na Loga. Com uma estrutura ampla, o material descarregado no pátio é transportado por meio de uma pá carregadeira para um rasga-sacos e depois dividido entre grandes, médios e finos.

Com equipamentos que separam os materiais em pesos e formatos e por sensores óticos, os resíduos são distribuídos em esteiras e seguem para a triagem manual com controle de qualidade. Em formato de fardos, são vendidos através de leilão online e geram renda para milhares de famílias que vivem do reciclável.

Os processos encantam a pesquisadora em direitos humanos Leila Izidoro, que frequentou os espaços com o interesse de conhecer qual o papel dos catadores nessas Centrais. “Acredito que esse tipo de visitação é uma forma das pessoas ficarem menos alienadas a respeito do lixo que produzem. Agregou para mim como pesquisadora, mas principalmente como pessoa. Pude tatear o campo e também ter um pouco mais de noção do funcionamento dessa megaoperação no município”.

Multiplicadores

Em ambas Concessionárias, as visitações são realizadas por meio de agendamento prévio. As escolas e instituições que tiverem interesse em conhecer o funcionamento das Centrais podem entrar em contato para realizar a inscrição. Essa é uma maneira que as empresas encontraram para conscientizar a população a respeito da importância da coleta seletiva e criar multiplicadores.

 

Texto produzido 22/10/2019

Ícone - Carta

Receba nosso conteúdo


Últimas

Notícias

Com alta reciclabilidade, cobre é um resíduo valioso

Furto de cabos de semáforos na cidade de SP subiu 47% no primeiro semestre de 2022

03/08/2022
Notícias

Saiba como descartar o lixo de forma correta

É muito fácil separar os diferentes tipos de resíduos e começar a reciclar

02/08/2022
Notícias

Comissão da Câmara debate reciclagem de carros velhos no Brasil

Apenas 1,5% do carros velhos são reciclados no país; na Europa, índice chega a 85%

01/08/2022
Notícias

Maior parte do plástico de delivery não é reciclada, revela estudo

Dados inéditos indicam aumento de 46% de plástico enviado nos pedidos

29/07/2022