Máquinas coletoras recolheram mais de meia tonelada de aço em SP

04/12/2020

Imagem -  Cada embalagem de aço depositada nas máquinas equivale a 10 pontos. Foto: Christophe Dion / Unsplash

Cada embalagem de aço depositada nas máquinas equivale a 10 pontos. Foto: Christophe Dion / Unsplash

As máquinas da Retorna Machine (já vimos algumas delas espalhadas pelas linhas de metrô em São Paulo) recolheram aproximadamente meia tonelada de embalagens de aço no primeiro semestre de 2020. Comparado com o mesmo período do ano passado, houve um crescimento de 57% na coleta desses produtos.

O projeto dessas tecnologias de coleta é uma parceria ente a empresa de soluções sustentáveis, Triciclo, com a associação sem fins lucrativos, Prolata. A Retorna Machine funciona como um programa de fidelidade. Quando o usuário descarta suas embalagens nas máquinas adquire os "pontos triciclo", que podem ser revertidos em descontos na conta de luz da ENEL, créditos no: Bilhete Único, nos cartões da EMTU ou no BOM, em celulares que são pré-pagos, na PagBank ou até mesmo transferência para o programa de fidelidade da livraria Saraiva, o SaraivaPlus.

Os pontos também podem ser doados para instituições de caridade. Cada embalagem de aço depositada nas máquinas equivale a 10 "pontos triciclos". Podem ser descartadas latas de aço de tintas, alimentos e bebidas, entre outras.

A iniciativa conta ainda com a parceria da siderúrgica Gerdau, responsável pela reciclagem do material de aço descartado. Além das latas, as máquinas recebem também embalagens de alumínio, PET, vidro e Longa Vida.

Para descartar nas Retornas Machines, basta criar uma conta pelo site do projeto ou pelo aplicativo da Triciclo (basta baixá-lo no Google Play ou na Apple Store). Clique aqui para encontrar uma máquina mais próxima a você.

“A destinação das embalagens de aço pós-consumo em pontos de entrega voluntária (PEVs) – caso das Retorna Machines – facilita a coleta e a destinação correta das latas, que são 100% recicláveis. Hoje, o país recicla 47% do aço consumido. Com a Prolata queremos chegar a 60% em 15 anos”, destaca Thais Fagury, presidente da Associação Brasileira de Embalagem de Aço (Abeaço) e diretora da Prolata.

Fonte: Tem Sustentável

Texto produzido em 08/09/2020

 

Tags: notícias
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados