Coca-Cola e Danone investem em garrafas à base de plantas

15/07/2020

Imagem - As duas gigantes no ramo de bebidas e alimentação pretendem construir uma fábrica de bioplásticos. Foto: Pensar Contemporâneo

As duas gigantes no ramo de bebidas e alimentação pretendem construir uma fábrica de bioplásticos. Foto: Pensar Contemporâneo

Muito tem se falado sobre a consciência ambiental que os consumidores estão adquirindo e isso se demonstra principalmente em suas preferências por produtos sustentáveis. Aliadas ao movimento, grandes marcas já estão se adaptando a essa nova realidade e investindo em materiais ecológicos em sua produção.

As empresas multinacionais Coca-Cola e Danone, por exemplo, estão apoiando uma startup bioquímica holandesa que produz “plásticos vegetais” que se decompõem no período de um ano, a Avantium.

As duas gigantes no ramo de bebidas e alimentação pretendem construir uma fábrica de bioplásticos na Holanda, a fim de conquistar a liderança mundial nesse setor. Os testes desse “novo plástico” têm mostrado que o material ecológico é capaz de armazenar as bebidas com qualidade.

Para fazer a garrafa, a “bio-refinaria” receberá resíduos de milho, trigo e beterraba e pretende produzir cerca de 5 mil toneladas de plástico vegetal no primeiro ano de funcionamento.

Ao ser descartado, o material, quando colocado em uma espécie de composteira (infraestrutura que transforma resíduos orgânicos em adubo), se decompõe ao longo de um ano, porém se deixado no ambiente natural, leva três anos para se degradar.

As embalagens criadas pela Avantium podem chegar às gôndolas de supermercados em 2023.

“Este plástico é muito sustentável, pois ele não é produzido com combustíveis fósseis, como o petróleo. Além disso, ele pode ser reciclado ou simplesmente entrar em período de degradação”, contou Tom Van Aken ao jornal inglês The Guardian.

Fonte: Pensar Contemporâneo

Texto produzido em 19/06/2020 

Tags: notícias
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados