Vídeo mostra garrafa de plástico se decompondo em tempo real

17/04/2020

Imagem - A transmissão ao vivo foi lançada pelo WWF-Portugal. Foto: WWF

A transmissão ao vivo foi lançada pelo WWF-Portugal. Foto: WWF

De quatro a cinco séculos. Esse é o tempo estimado de decomposição de uma garrafa plástica: entre 450 e 500 anos. Para comprovar a lentidão do processo e alertar sobre os malefícios que o descarte incorreto do material pode causar um projeto tem filmado tudo em tempo real.

A transmissão ao vivo foi lançada pelo WWF-Portugal (World Fund for Nature). O live stream mais longo do mundo é uma ação para chamar a atenção do planeta sobre a poluição do plástico nos oceanos do mundo.

“O objetivo dessa ação é encaminhar as pessoas a assinar uma petição, que está no portal, chamada Zero Plásticos na Natureza e, dessa forma, pressionar políticos para a necessidade de termos um novo acordo para a saúde da natureza e das pessoas”, contou ao Recicla Sampa, Angela Morgado, diretora-executiva do WWF-Portugal.

De acordo com a profissional, essas assinaturas se tornarão um documento que será entregue no final do ano pelo WWF Internacional aos líderes globais que estarão no encontro das Nações Unidas para o meio ambiente. “Além disso, na ocasião também lançaremos um relatório que mostrará os efeitos da poluição plástica na vida das pessoas”, explicou a executiva.

Até o momento, mais de 1 milhão de pessoas assinaram o abaixo-assinado. A meta é chegar em 2 milhões de assinaturas. A entidade pedirá à ONU que crie um acordo global e jurídico que impeça plástico no mar até 2030. O WWF acredita que a crise provocada pela poluição desse componente pode ser encerrada numa única década se todos os setores mundiais se empenharem na salvação das águas e da vida marinha.

De acordo com a entidade, a situação dos nossos oceanos com o acumulo de plástico é preocupante. Cerca de 8 milhões de toneladas de resíduos plásticos vão parar nos mares todos os anos, causando a morte de animais marinhos que se asfixiam confundindo o material com comida ou se acidentam ao mínimo contato com o componente.

O plástico já ameaça diversas espécies de animais que vivem no oceano. O uso das embalagens descartáveis, maioria dos produtos achados no mar, já é um problema mundial. No Brasil, 4º maior produtor de lixo plástico do mundo, cada pessoa produz em média 1kg de resíduo do material por semana, sendo que apenas 1,2% desse composto é reciclado atualmente. É o que apontam os dados de um estudo feito pelo WWF.

Segundo informações desse mesmo estudo, se medidas não forem tomadas urgentemente a poluição plástica dobrará de volume até 2030. O relatório leva em consideração as atuais projeções de crescimento populacional, de PIB per capita e a geração de resíduos plásticos, e destaca que os oceanos serão os mais afetados.

Faça a sua parte!

Muito se tem feito para aumentar a consciência sobre o uso do plástico e descarte incorreto do material. Um simples ato que pode ser feito dentro de casa garante que embalagens não cheguem até o oceano. Trata-se de separar o lixo em dois: recicláveis e comum. Dividir os resíduos corretamente é certificar-se de que ele será coletado e armazenado em local seguro, gerando renda para cooperativas que dependem da comercialização do material reciclado.

Você também pode utilizar os 5Rs da sustentabilidade para evitar ou substituir o uso do plástico.  Confira algumas dicas abaixo:  

Sacolas retornáveis

Deixe de lado as sacolas plásticas e opte pela ecobag. Sacolas de pano dobráveis são uma boa dica para você carregar na mochila ou na bolsa diariamente.

Produtos a granel

Frutas secas, cereais e grãos não precisam estar dentro da embalagem plástica. Opte por comprar esses produtos a granel e leve seu próprio pote.

Recuse o canudinho plástico

Ele é um produto totalmente dispensável e hoje temos várias alternativas: comprar um de metal, vidro ou bambu para levar sempre com você. Ou ainda optar por utilizar os de macarrão e de papel oferecidos nos estabelecimentos.

Quer saber mais?

Conheça quanto tempo cada material leva para se decompor na natureza

Plástico

Como vimos, o material demora de 450 a 500 anos para se decompor. A reciclagem deste produto é considerada a mais complexa dentre os materiais. Isso porque existe uma variedade enorme de tipos de plástico que se diferem entre reciclados apenas uma vez ou várias. Saiba mais sobre a reciclagem do componente aqui.

Borracha

Muito utilizada no meio industrial, pesquisadores ainda não conseguiram determinar o tempo de decomposição da borracha. Por isso, em alguns estudos, seu tempo na natureza aparece como “indeterminado”.

Papel

Entre os materiais, o papel é o que se decompõe mais rápido. Ele leva de 3 a 6 meses para desaparecer do ambiente.

Vidro

O vidro demora 4 mil anos para sumir da terra. Há historiadores que acharam objetos de até mesmo 6 mil anos, nas necrópoles egípcias. Além de durar bastante tempo, o material é infinitamente reciclável. Saiba mais aqui.

Alumínio

Não há limites para que o alumínio retorne ao seu ciclo de produção, o que significa que esse material pode ser reciclado infinitas vezes. Seu tempo de duração é de 200 a 500 anos.

Resíduos Orgânicos

Eles levam de 2 a 12 meses para se decompor na natureza. Uma das melhores formas para se reciclar esse tipo de material é ter uma composteira doméstica que transforma sobras de comida nos melhores adubos possíveis. Saiba mais aqui.

Cigarro

Ao ser descartado, bactérias e fungos digerem a celulose no interior do cigarro que o levam a um processo de decomposição que dura de um a dois anos. Contudo, ao ser lançado no asfalto, o tempo de vida da bituca é ainda mais longo.

Chiclete

Cerca de 5 anos. A decomposição do chiclete depende da luz e do oxigênio do ar, que o fazem perder a elasticidade e a viscosidade.

Fonte: Unifesp

Texto produzido em 03/03 /2020

Tags: matérias
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados