Mundano e coletor falam sobre visibilidade que proporcionaram aos catadores

18/12/2020

Estima-se que no Brasil de 800 mil a 1 milhão de pessoas vivem da coleta de lixo, de acordo com dados do Pimp My Carroça, iniciativa que ajuda na valorização e reconhecimento social dos catadores. Neste episódio do Podcast do Recicla, o apresentador Cazé Peçanha e o jornalista americano Matthew Shirts batem um papo com o artista de grafite e criador do Pimp My Carroça, Mundano, e com Carlão, catador da capital há vinte anos.

O empreender social ajuda na valorização dos catadores, que ainda passam de forma invisível pelas cidades do país. “Nossa tarefa é ‘pimpar’ suas carroças”. De maneira prática, isso significa dar cor e beleza por meio da arte para elevar a estima dos profissionais que mais contribuem para a limpeza e reciclagem do país.

Além disso, o artista também conseguiu conectar os catadores com empresas e moradores para a realização do descarte de resíduos por meio de um aplicativo, o Cataki. A ferramenta ganhou visibilidade e prêmios mundiais: foi a grande vencedora do The Venture 2019, concurso internacional de voto popular que consagra inovações de impacto social.

Nesta edição, ao lado de Mundano está Carlão, profissional que atua na reciclagem há mais de vinte anos. "Eu comecei na profissão aos 9 anos. Naquele tempo o ofício de catador de recicláveis ainda não existia, comecei na época em que diziam que éramos catador de ferro velho", conta Carlos Antônio, o Carlão.

Imagem - Dupla fala sobre a importância do catador. Foto: Recicla Sampa

Dupla fala sobre a importância do catador. Foto: Recicla Sampa

"A gente começou a ganhar visibilidade quando o Mundano começou a 'pimpar' (fazer arte de grafite) em nossas carroças. Isso começou a nos tornar visíveis", diz.

Mundano explica que começou a fazer esse trabalho sozinho, mas a ação cresceu. “Vi que precisava de ajuda de muitos colegas para fazer grafite nos veículos, foi assim que acabou surgindo a ONG Pimp My Carroça", relembra.

Nesse contato direto com os catadores, Mundano teve a ideia de criar, em julho de 2017, o Cataki. O aplicativo conecta catadores de materiais recicláveis a cidadãos ou empresas que queiram dispor desses objetos. “Tivemos cerca de 30 mil downloads em um único dia”.

Quer saber mais sobre essa iniciativa? Assista ao episódio completo no vídeo acima. 

Confira outros encontros incríveis do Podcast do Recicla:

 - Andrea Alvares, vice-presidente de marca, inovação, internacionalização e sustentabilidade da Natura;

- Amanda Cruz, embaixadora na ONU e Idealizadora do Climathon Brasil e Perifa Sustentável;

- Carioca, presidente da Cooperativa de Coleta Seletiva de São Paulo;

- Carlo Pereira, diretor-executivo do Pacto Global da ONU;

- Luciano Loubet, promotor de Justiça (MS);

- Mateus Mendonça, sócio-diretor da consultoria Giral;

- Paulina Chamorro, jornalista ambiental;

- Paulo Artaxo, cientista, físico e professor da USP;

- Ricardo Abramovay, professor de Filosofia da USP;

- Suzana Kahn, professora de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Texto produzido em 17/12/2020

Tags: entrevistas, matérias, vídeos
Espalhe essa informação

Assuntos Relacionados